23h : 03min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Centrais sindicais fazem atos e paralisações hoje

Em pauta está em destaque a luta contra a PEC 55, antiga PEC 241

Comentar
Compartilhar
25 NOV 2016Por Da Reportagem08h45

Articulada pelas centrais sindicais como um Dia Nacional de Paralisação e Greves, esta sexta-feira (25) será marcada por diversos protestos na Baixada Santista. Em pauta está em destaque a luta contra a PEC 55, antiga PEC 241, que pode congelar por até 20 anos os investimentos em saúde e educação, mas também as possíveis reformas trabalhista e previdenciária. Outra bandeira é a defesa do emprego.

Estudantes que ocupam a Unifesp Silva Jardim, em Santos, sindicatos que compõem a Frente Sindical Classista da região e coletivos feministas se reuniram no último dia 21 para traçar estratégias comuns de mobilização na Baixada Santista. Resultado deste encontro, foram articuladas diversas ações conjuntas para não deixar a data passar em branco. Estão integradas às atividades categorias como servidores de Santos, metalúrgicos, petroleiros, bancários e trabalhadores do judiciário federal e estadual.

A principal atividade do dia será o Ato Unitário, às 19 horas, na Praça da Independência, em Santos. Entretanto, outras atividades acontecerão ao longo do dia e servirão de espaço de divulgação para o protesto no Gonzaga. Às 7 horas, por exemplo, os trabalhadores da Petrobras irão atrasar por algumas horas o início do expediente na Refinaria Presidente Bernardes de Cubatão. Em campanha reivindicatória, a categoria aproveitará o dia nacional de luta para ampliar as mobilizações que já acontecem desde o início da data-base, em setembro.

Às 11h30, na Praça Mauá, estudantes da ocupação na Unifesp realizam aula pública para explicar à população as principais razões do movimento realizado na universidade há quase um mês. Logo após esta atividade, ainda na Praça Mauá, será realizado às 13 horas um ato e panfletagem com sindicatos, coletivos e demais organizações. A atividade contará com o reforço de trabalhadores e trabalhadoras do Judiciário Estadual, que ao meio-dia realizam protesto em frente ao Fórum de Santos, na Praça José Bonifácio, e na sequência se deslocam até a Praça Mauá.

Já às 17 horas, diversos coletivos feministas realizam o ato ‘Nem uma a menos’ contra a violência à mulher. Em todo o mundo, 25 de novembro é conhecido como o Dia Internacional de Combate à Violência Contra a Mulher. A concentração será na Avenida Conselheiro Nébias, próximo à Unisantos do campus Dom Idílio). Por fim, como fechamento do dia, haverá o ato unitário das 19 horas na Praça Independência, em Santos.

Para ampliar a divulgação das atividades, os estudantes, sindicalistas e coletivos que integram este dia de luta elaboraram um vídeo explicando as razões pelas quais a próxima sexta-feira (25) será marcada por protestos. Além disso, o objetivo é ao longo do dia distribuir panfleto com a programação completa, tendo como destaque o ato final das 19 horas.

Colunas

Contraponto

Construtora CredLar