02h : 28min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Tradicional no almoço de Páscoa, bacalhau está mais barato

Pesquisa realizada pelo Departamento de Economia da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS) aponta que pescado foi o item que apresentou menor variação de preço

Comentar
Compartilhar
10 ABR 2017Por Vanessa Pimentel10h30
O comerciante Marcelo Gil Figueira, proprietário do Laticínios Marcelo Import, afirma que a busca pelo bacalhau tem sido grande desde o início do mêsFoto: Rodrigo Montaldi/DL

Uma pesquisa de Páscoa realizada pelo Departamento de Economia da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS) mostrou que, dos produtos que fazem parte da data, o bacalhau foi o item que apresentou menor variação de preço (1,5%) em relação ao ano passado, favorecido pela queda do dólar.

Em Santos, a busca pelo peixe tem sido grande desde o início do mês. É o que afirma o comerciante Marcelo Gil Figueira, proprietário do Laticínios Marcelo Import. “O preço do quilo do bacalhau em relação ao ano passado caiu em média R$ 5. Em 2016, vendíamos o bacalhau do Porto a R$ 64,90. Esse ano, estamos com ele a R$ 59,90”, explica Marcelo. 

Segundo ele, a busca pelo pescado vem aumentando desde que a Polícia Federal deflagrou a Operação Carne Fraca e denunciou irregularidades em frigoríficos brasileiros. “Independentemente deste período religioso, os clientes estão consumindo mais peixe, de forma que neste ano investi mais do que no ano passado. Como é um produto que tem rotatividade contínua, não tenho medo de não vender”, afirmou o comerciante. 

No estabelecimento pode ser encontrado filé de bacalhau por R$ 79,90 o quilo ou o bacalhau em tiras por R$ 74,90, também o quilo. 

Rua do Peixe. Elaine dos Santos está à frente da Peixaria Zelaine há 26 anos. De acordo com ela, foi preciso antecipar a compra do pescado porque o movimento está maior desde a semana passada. “O bacalhau dessalgado está R$ 28,00 o quilo, mesmo preço do ano passado”, diz. 

Porém, mesmo com a procura, a comerciante foi cautelosa na hora de abastecer o estoque. “Com essa crise que assola o Brasil, não dá para investir alto e correr o risco de perder mercadoria. O peixe precisa ser fresco, compro de acordo com o que sai no dia”, justifica Elaine. 

Para atrair os clientes, os comerciantes da Rua do Peixe, na Ponta da Praia, em Santos, oferecem sem custo adicional o pescado já limpo e a embalagem propícia para conservar o peixe fresco durante o caminho do box até a casa do consumidor.

Sugestões

Para quem procura receitas que vão além do bacalhau, opções não faltam. O salmão varia de R$ 35 a R$ 37, dependendo do tamanho. A pescada amarela ou branca sai por R$ 16 e R$18, respectivamente. O cação, já limpo, é encontrado por R$ 18, mas para quem quer economizar ainda mais pode optar pela curvina, vendido a R$ 14 o quilo. 

O atendente Fabiano Cipriano diz que quem não pode pagar pelo bacalhau, mas quer um ­peixe de sabor aproximado, pode substituir pela cavala. “No nosso box o quilo sai por R$ 20, é ­imperdível, freguesa”, brinca ele.

Colunas

Contraponto