11h : 07min

Assine o Diário e o Santista por R$8 por mês no plano atual

Tradicional no almoço de Páscoa, bacalhau está mais barato

Pesquisa realizada pelo Departamento de Economia da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS) aponta que pescado foi o item que apresentou menor variação de preço

Comentar
Compartilhar
10 ABR 2017Por Vanessa Pimentel10h30
O comerciante Marcelo Gil Figueira, proprietário do Laticínios Marcelo Import, afirma que a busca pelo bacalhau tem sido grande desde o início do mêsFoto: Rodrigo Montaldi/DL

Uma pesquisa de Páscoa realizada pelo Departamento de Economia da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS) mostrou que, dos produtos que fazem parte da data, o bacalhau foi o item que apresentou menor variação de preço (1,5%) em relação ao ano passado, favorecido pela queda do dólar.

Em Santos, a busca pelo peixe tem sido grande desde o início do mês. É o que afirma o comerciante Marcelo Gil Figueira, proprietário do Laticínios Marcelo Import. “O preço do quilo do bacalhau em relação ao ano passado caiu em média R$ 5. Em 2016, vendíamos o bacalhau do Porto a R$ 64,90. Esse ano, estamos com ele a R$ 59,90”, explica Marcelo. 

Segundo ele, a busca pelo pescado vem aumentando desde que a Polícia Federal deflagrou a Operação Carne Fraca e denunciou irregularidades em frigoríficos brasileiros. “Independentemente deste período religioso, os clientes estão consumindo mais peixe, de forma que neste ano investi mais do que no ano passado. Como é um produto que tem rotatividade contínua, não tenho medo de não vender”, afirmou o comerciante. 

No estabelecimento pode ser encontrado filé de bacalhau por R$ 79,90 o quilo ou o bacalhau em tiras por R$ 74,90, também o quilo. 

Rua do Peixe. Elaine dos Santos está à frente da Peixaria Zelaine há 26 anos. De acordo com ela, foi preciso antecipar a compra do pescado porque o movimento está maior desde a semana passada. “O bacalhau dessalgado está R$ 28,00 o quilo, mesmo preço do ano passado”, diz. 

Porém, mesmo com a procura, a comerciante foi cautelosa na hora de abastecer o estoque. “Com essa crise que assola o Brasil, não dá para investir alto e correr o risco de perder mercadoria. O peixe precisa ser fresco, compro de acordo com o que sai no dia”, justifica Elaine. 

Para atrair os clientes, os comerciantes da Rua do Peixe, na Ponta da Praia, em Santos, oferecem sem custo adicional o pescado já limpo e a embalagem propícia para conservar o peixe fresco durante o caminho do box até a casa do consumidor.

Sugestões

Para quem procura receitas que vão além do bacalhau, opções não faltam. O salmão varia de R$ 35 a R$ 37, dependendo do tamanho. A pescada amarela ou branca sai por R$ 16 e R$18, respectivamente. O cação, já limpo, é encontrado por R$ 18, mas para quem quer economizar ainda mais pode optar pela curvina, vendido a R$ 14 o quilo. 

O atendente Fabiano Cipriano diz que quem não pode pagar pelo bacalhau, mas quer um ­peixe de sabor aproximado, pode substituir pela cavala. “No nosso box o quilo sai por R$ 20, é ­imperdível, freguesa”, brinca ele.

Colunas

Contraponto