Quase 900 pessoas se vacinam em posto volante contra a febre amarela em Santos

O atendimento será retomado no mesmo local nesta sexta (16), das 11h às 14h, e também haverá vacinação em 22 policlínicas da Cidade, das 9h às 16h

Comentar
Compartilhar
16 FEV 2018Por Da Reportagem11h11
Quase 900 pessoas se vacinam em posto volante contra a febre amarela em SantosFoto: Rodrigo Montaldi/DL

Um total de 898 pessoas foram imunizadas contra a febre amarela nesta quinta (15) no posto volante montado pela Prefeitura de Santos na Praça Mauá (Centro). O atendimento será retomado no mesmo local nesta sexta (16), das 11h às 14h, e também haverá vacinação em 22 policlínicas da Cidade, das 9h às 16h.

A técnica de Contabilidade Nilza Higa, 53 anos, trabalha no Valongo e aproveitou o posto montado no Centro Histórico para se proteger, pois ela não tinha certeza se já havia se vacinado anteriormente. "O posto facilita para quem trabalha e o atendimento foi bem rápido".

O casal de servidores públicos Eraldo Martins Fontes, 56, e Maria das Graças, 60, que trabalha na Região Central também se imunizou no posto durante o horário de almoço. "Agora estamos mais tranquilos. Em abril, vamos viajar para Minas Gerais e estaremos protegidos", disse Maria.

Somente nesta quinta foram 5.683 vacinas aplicadas em Santos, incluindo as 898 doses na Praça Mauá. Na sexta passada (9) foram 3.374 doses, o que representou um aumento de 68%. Até agora o Município totalizou 52.335 doses aplicadas, o que representa 16,3% da meta de vacinar 320 mil pessoas.

Dia D

A campanha preventiva de vacinação contra a febre amarela, em andamento em Santos e em outras 53 cidades paulistas, termina neste sábado (17), quando está previsto o segundo Dia D da campanha. As mesmas 22 unidades da campanha irão funcionar das 8h às 17h exclusivamente para a imunização. Também será montado posto volante na Praça das Bandeiras (Gonzaga) no mesmo horário. Mais de 400 profissionais de saúde irão atuar com apoio de estudantes e professores de instituições de ensino conveniadas. 

Para se vacinar é necessário apresentar documento de identidade com foto (RG ou CNH, por exemplo) ou certidão de nascimento (no caso de crianças), sendo recomendado levar o Cartão SUS. Quem já tomou a vacina uma vez não precisa tomar novamente, porque ela é válida por toda a vida, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS).

As pessoas com mais de 60 anos também precisam levar autorização médica por escrito. Já crianças com menos de 9 meses, pessoas com doenças que baixam a imunidade (como lúpus e câncer), grávidas, mulheres que amamentam bebês de até seis meses e alérgicos a gelatina e ovo têm contraindicação para a vacina.

Relação de postos fixos:

Orla

Aparecida - Av. Pedro Lessa, 1.728
Campo Grande - Rua Carvalho de Mendonça, 607
Embaré - Praça Coronel Fernando Prestes s/nº
Gonzaga - Rua Assis Correia, 17
José Menino / Pompeia - Avenida Floriano Peixoto, 201
Ponta da Praia - Praça 1º de Maio s/nº
 
Centro/Área Continental

Conselheiro Nébias - Av. Conselheiro Nébias, 514 – Encruzilhada
Vila Mathias- Rua Xavier Pinheiro, 284 - Encruzilhada
Vila Nova - Praça Iguatemi Martins s/nº
Caruara - Rua Andrade Soares s/nº
Martins Fontes – Rua Luiza Macuco, 40 – Vila Mathias
 
Zona Noroeste

Alemoa e Chico de Paula- Praça Guilherme Délius s/nº - Alemoa
Bom Retiro- Rua João Fracarolli s/nº
Rádio Clube - Avenida Hugo Maia s/nº
São Manoel - Praça Nicolau Geraigire s/nº - São Manoel
São Jorge e Caneleira - Rua Francisco Ferreira Canto, 351 - São Jorge
Castelo- Rua Francisco de Barros Melo, 184

Morros

Marapé - Rua São Judas Tadeu, 115
Nova Cintra - Rua José Ozéas Barbosa s/nº
São Bento - Rua das Pedras s/nº
Valongo - Rua Prof. Maria Neusa Cunha s/nº - Saboó
Morro do José Menino - Rua Doutor Carlos Alberto Curado, 77 A
 
Confira as últimas atualizações sobre os casos suspeitos de febre amarela na Cidade

A Secretaria de Saúde de Santos informa que morreu, na tarde desta quinta (15), o paciente de 26 anos internado na UTI do Hospital Ana Costa. Ele era residente de Santos, trabalhava em São Paulo e viajou em novembro para a Tailândia. O Município aguarda o resultado do exame enviado ao Adolfo Lutz – laboratório de referência do governo estadual - para confirmar ou descartar a febre amarela. Exame do hospital para o diagnóstico de leptospirose deu negativo.

Novos casos suspeitos

 O Departamento de Vigilância em Saúde (Devig) de Santos recebeu nesta quinta (15) cinco novas notificações de casos suspeitos de febre amarela, relativas a pacientes de outras cidades em hospitais de Santos – ver abaixo:

>Criança de 7 anos (masculino), residente em Peruíbe (bairro Guaraú), internada na Santa Casa desde 6 de fevereiro. Está na UTI pediátrica. Primeiros sintomas desde 6 de janeiro. Não houve deslocamento para fora da região.

>Adolescente de 16 anos (masculino), residente em Peruíbe (Samburá), ficou internado na Santa Casa desde 10 de fevereiro e teve alta no dia 14 de fevereiro. Primeiros sintomas desde 4 de fevereiro. Viajou para Ubatuba no Ano-Novo. Também foi notificado como caso suspeito de dengue e leptospirose.

>Adulto de 36 anos (masculino), residente em São Vicente (Vila Ponte Nova), internou-se na Beneficência Portuguesa no dia 9 de fevereiro. Está na enfermaria. Primeiros sintomas desde 1º de fevereiro. Trabalha como caminhoneiro e esteve em São Bernardo, Limeira e Paulínia. Também notificado como suspeito de leptospirose.

>Adolescente de 17 anos (masculino), residente em São Vicente (Vila São Jorge), internou-se na Santa Casa em 12 de fevereiro. Está na UTI. Primeiros sintomas em 9 de fevereiro. Não viajou para fora da região. Também notificado como dengue e leptospirose.

Adulto de 35 anos (masculino), residente em São Vicente (Parque São Vicente), internou-se na Santa Casa no dia 30 de janeiro. Foi vacinado contra a febre amarela no dia 30 de janeiro, podendo ser uma reação à dose. Não viajou para fora da região. Também notificado como dengue e leptospirose.

Confirmado

O Instituto Adolfo Lutz confirmou, nesta quinta (15), o caso de febre amarela do jovem de 16 anos, natural de São Paulo, que esteve na casa do avô em Santos entre os dias 22 e 25 de janeiro. Ele ficou internado por dois dias na Beneficência Portuguesa até ser transferido para o Hospital Albert Einstein (Capital), onde teve alta hospitalar. 

Colunas

Contraponto