Banner Codevida

Obras do aeroporto de Praia Grande começam em novembro

34 exigências da Cetesb para emissão da licença de instalação e supressão de vegetação estão sendo cumpridas pela Icipar Empreendimentos Imobiliários

Comentar
Compartilhar
03 SET 2017Por Carlos Ratton10h30
Complexo será construído em área de 12 m², na Mata Atlântica, às margens da Rodovia Padre Manoel da Nóbrega. Grupo Sonda promete preservar 70% da áreaFoto: Rodrigo Montaldi/DL
As obras do Complexo Empresarial e Aeroportuário Andaraguá, em Praia Grande, deverão ser iniciadas em novembro próximo. A informação é do diretor de expansão da Icipar Empreendimentos Imobiliários e administrativo da Andaraguá, engenheiro André Ursini, responsável pela implantação do modal que gerará R$ 1 bilhão em investimentos e 15 mil postos de trabalho nos próximo dez anos. Ele falou com a reportagem na sede de Cubatão do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp). 
 
“Estamos terminando de cumprir as 34 exigências da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) para emissão da licença de instalação e de supressão de vegetação. Tudo deve estar concluído até setembro. Vamos protocolar tudo na Cetesb e aguardar a liberação para iniciar a terraplanagem, que devem ocorrer nos próximos 60 dias. Acredito que em torno do mês de novembro a gente inicie as obras”, disse.
 
O engenheiro revelou que na fase de implantação (30 meses) serão gerados 4.500 empregos diretos. Na fase seguinte o número sobe para seis mil.
 
As fases mudam a cada dois anos e, no final de 10 anos, ele acredita que serão 15 mil postos de trabalho, “nas empresas que serão instaladas, no aeródromo, na linha férrea, as torres de hotel, shopping e outros empreendimentos que se instalarão em todo o complexo”, ­finalizou.                
 
Conforme já divulgado, o complexo operará aviões de carga e terá espaço para a instalação de indústrias. Estão previstos também mais de 200 galpões para empresas de comércio exterior. 
 
O Complexo Andaraguá será erguido às margens da rodovia Padre Manuel da Nóbrega – acesso pelo Km 289 – e com fácil acesso ao Porto de Santos, que fica a 17 quilômetros do local. O projeto foi aprovado pelo Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema) no final de 2014, depois de ficar seis anos em processo de licenciamento ambiental. 
 
A pista do aeroporto de 2.600 metros, já aprovada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), possibilitará que aviões de grande porte possam operar no local. Por se tratar de movimento apenas de cargueiros, a meta é que receba no máximo nove operações de voos por dia. 
 
A Icipar se dispôs a instalar uma escola técnica dentro do complexo para capacitar trabalhadores. De acordo com a Prefeitura, a capacitação será feita em parceria com ONGs da cidade.
 
O projeto será implantado dentro de uma área de 12 mil metros quadrados de Mata Atlântica, de propriedade do Grupo Sonda, que garante a preservação de 70% do terreno.  
 
A previsão é de que a construção ocupe aproximadamente 3 milhões de metros quadrados e a Icipar garante que cumprirá as imposições legais de controle ambiental.
 
Prefeito
 
O prefeito de Praia Grande, Alberto Mourão (PSDB), também na sede do Ciesp, se mostrou otimista com o empreendimento. Ele disse que o presídio que está no meio do terreno será demolido e a empresa vai construir outro, mais moderno, em ­substituição. 
 
“Os estudos complementares de impacto de vizinhança estão sendo realizados junto aos órgãos estaduais, bem como os de entradas pela Rodovia Padre Manoel da Nóbrega, marginais, e outros. Assim que começar, a gente sabe que não há como voltar atrás”, disse.

Colunas

Contraponto