Entrada da Cidade

Temer diz que aqueles que o acusaram 'ou estão presos ou desmoralizados'

Sem citar Janot diretamente, o presidente responsabilizou uma 'figura do setor público' pelo adiamento da aprovação da reforma da Previdência

Comentar
Compartilhar
23 DEZ 2017Por Estadão Conteúdo08h30
Michel Temer disse que aqueles que o acusaram 'ou estão presos ou desmoralizados'Foto: Agência Brasil

O presidente Michel Temer voltou a criticar, nesta sexta-feira, 22, em café da manhã com jornalistas, a colaboração premiada da JBS, que culminou em dois pedidos de investigação contra ele por parte do ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot. Temer disse que aqueles que o acusaram "ou estão presos ou desmoralizados".

"Todos os nossos detratores foram desmascarados. Aquela gravação acidental da JBS diz a verdade, diz o que estava por trás daquela urdidura conspiratória. A CPMI da JBS também detectou várias irregularidades nesse sentido. Em outras palavras, aqueles que nos acusaram ou estão presos ou estão desmoralizados", afirmou.

Sem citar Janot diretamente, o presidente responsabilizou uma "figura do setor público" pelo adiamento da aprovação da reforma da Previdência. Segundo ele, não fosse a denúncia da JBS, as mudanças nas regras da aposentadoria teriam passado no Congresso Nacional.

"Essa questão da corrupção prejudicou muito o governo e prejudica muito a minha popularidade. Isso foi fruto da irresponsabilidade de setores privados e um setor público, uma figura do setor público. Essa denúncia da JBS prejudicou muito o País. Vocês sabem que, no mês de maio, estava tudo ajustado para aprovar a Previdência Social e não foi possível diante daqueles fatos", argumentou.

Colunas

Contraponto