10h : 13min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Sem reforma da Previdência, Brasil vai ficar sem futuro, diz Rodrigo Maia

O modelo de reforma proposto pelo governo tem enfrentado resistência no Congresso, inclusive na própria base do governo

Comentar
Compartilhar
20 MAR 2017Por Estadão Conteúdo18h00
Para Maia, oFoto: Gustavo Lima/Câmara dos Deputados

A reforma da Previdência será votada entre o final de abril e início de maio, reiterou nesta segunda-feira, 20, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Para ele, o "Brasil ficará sem futuro", caso a reforma não seja implementada.

O modelo de reforma proposto pelo governo tem enfrentado resistência no Congresso, inclusive na própria base do governo. Na sexta-feira, 17, após o encerramento do novo prazo para a apresentação de emendas à Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 287, praticamente três quartos das 164 sugestões de mudanças de artigos na reforma são de autoria de parlamentares do bloco governista - 120, contra 44 da oposição. 

A oposição também tem resistido à proposta. No domingo, o PDT decidiu fechar questão contra as reformas da Previdência e Trabalhista propostas pelo governo Michel Temer. A decisão foi tomada durante convenção nacional do partido.

"Temos apoio e vamos ganhar", disse o presidente da Câmara, antes de participar de encontro com o Conselho Diretivo do Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IDV) em São Paulo. "Vamos aprovar a reforma e garantir o futuro dos brasileiros. Não votar a reforma da Previdência é prejudicar os mais pobres, é prejudicar o trabalhador, já que vai aumentar o desemprego. É prejudicar as famílias que estão endividadas, porque vai aumentar a taxa de juros e é prejudicar as futuras gerações, porque o Brasil vai ficar sem futuro."

Perguntado sobre a possibilidade de instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar irregularidades relacionadas à Operação Carne Fraca, Rodrigo Maia afirmou que "não está sabendo".

Colunas

Contraponto