Débitos prefeituras

Lula e Bolsonaro seguem à frente em disputa eleitoral, aponta pesquisa CNT

A pesquisa foi realizada de 28 de fevereiro a 3 de março de 2018 com 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 unidades da federação

Comentar
Compartilhar
06 MAR 2018Por Folhapress14h05
Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) seguem liderando as intenções de voto à PresidênciaFoto: Agência Brasil

Pesquisa divulgada nesta terça-feira (6) aponta que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) seguem liderando as intenções de voto à Presidência. O levantamento feito pela CNT/MDA indica vitória de Bolsonaro nos cenários sem o petista.

A pesquisa foi realizada de 28 de fevereiro a 3 de março de 2018 com 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 unidades da federação. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

Em pesquisa estimulada, quando o entrevistador apresenta uma lista de candidatos, Lula aparece no primeiro turno com 33,4% das intenções de voto, e Bolsonaro, com 16,8%. Não é possível comparar os percentuais com os obtidos na pesquisa anterior, divulgada em setembro. No segundo turno, numa disputa entre Lula e Bolsonaro, o ex-presidente chega a 44,1%, ante 40,5% em setembro. Bolsonaro, que tinha 28,5%, aparece com 25,8%.

No segundo turno, o cenário mais favorável ao ex-presidente é contra o governador de São Paulo Geraldo Alckmin. Lula venceria o tucano com 44,5% dos votos. Alckmin alcançaria 22,5% do eleitorado, ante 23,2% em setembro.

Sem Lula na disputa, todos os cenários testados para o primeiro turno mostram que Bolsonaro e Marina Silva (Rede) avançariam na disputa. Marina alcança 13,9% das intenções de voto num cenário sem o ex-presidente Lula e sem Alckmin. No mesmo quadro, Bolsonaro chegaria a 20,9%, cenário mais favorável para o parlamentar nessa etapa.

Já no segundo turno, Marina e Bolsonaro aparecem tecnicamente empatados. Bolsonaro tem 27,7% e Marina, que antes alcançava 29,2%, ficaria com 26,6% do eleitorado.

Para Bolsonaro, o cenário mais favorável no segundo turno da disputa seria contra o presidente Michel Temer, que alcançaria 5,7% dos votos contra 36% do deputado federal.

Temer tem a maior taxa de rejeição entre os eleitores: 88% dos entrevistados disseram que não votariam nele de jeito nenhum. A menor é a de Lula, que tem 46,7% de rejeição. O ex-presidente também tem o maior potencial positivo. Metade do eleitorado (50,1%) afirma que considera Lula como único candidato ou que poderia votar nele. Marina Silva é considerada por 40,2%.

CONDENAÇÃO DE LULA

A pesquisa também questionou a opinião dos eleitores sobre a condenação de Lula no caso do tríplex no Guarujá: 52,1% concordam com decisão do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) de manter a sentença contrária a Lula. Para 52,5% dos eleitores, Lula não deveria disputar as eleições presidenciais neste ano, E 42,8% afirmam que votariam em qualquer candidato indicado pelo petista ou que votariam dependendo do candidato.

GOVERNO TEMER

A pesquisa também revela que 69% dos entrevistados são a favor da intervenção federal no Rio de Janeiro e que a decisão do governo foi correta. Para 62,1% a intervenção deve resolver o problema da segurança pública no estado, total ou parcialmente. A criação do ministério extraordinário da Segurança Pública é aprovada por 62,8%.

A aprovação, entretanto, não se reflete na avaliação do governo. Para 73,3% a gestão de Michel Temer é ruim ou péssima -ligeira queda em relação à pesquisa de setembro, quando o governo tinha rejeição de 76%- e 20,3 avaliam como regular. Somente 4,3% consideram o governo ótimo ou bom -em setembro eram 3%.

Colunas

Contraponto