Santos

É 'surreal' que um candidato condenado lidere as pesquisas, diz Marun

O ministro da Secretaria de Governo culpou a falta de credibilidade da Justiça para justificar a liderança do ex-presidente Lula

Comentar
Compartilhar
06 FEV 2018Por Estadão Conteúdo11h45
Marun fez duros ataques ao Judiciário e defendeu a nomeação da deputada Cristiane Brasil (PTB -RJ) para ministra do TrabalhoFoto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, culpou a falta de credibilidade da Justiça para justificar a liderança do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva nas pesquisas, mesmo depois de ser condenado em segunda instância. Segundo Marun, essa situação é "estranha e surreal" e mostra a falta de credibilidade da Justiça provocada pelo ativismo político de juízes. 

Depois, o ministro explicou que não se trata de uma defesa do ex-presidente Lula. E ponderou que a lei é clara e não permite que condenados em segunda instância sejam candidatos.

Em palestra durante café da manhã organizado pela Associação Brasileira de Relações Institucionais e Governamentais (Abrig), Marun fez duros ataques ao Judiciário e defendeu a nomeação da deputada Cristiane Brasil (PTB -RJ) para ministra do Trabalho. 

Ele disse que é atribuição do presidente da República fazer as nomeações para cargos no Executivo.

Colunas

Contraponto