Santos Vacinação

Técnico em telefonia que desbloqueava celulares roubados no SAI é identificado

Foram apreendidos 64 celulares; o suspeito confessou que desbloqueava os aparelhos e disse que contava com o auxílio de um funcionário de uma operadora de telefonia

Comentar
Compartilhar
26 OUT 2017Por Gilmar Alves Jr.17h57
Foram apreendidos 64 celulares na casa do suspeito, na Vila EsperançaFoto: Gilmar Alves Jr./Diário do Litoral

A Polícia Civil identificou e ouviu, em Cubatão, um técnico em telefonia suspeito de desbloquear telefones roubados no Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI). Ele confessou a prática e disse que contava com o auxílio de um funcionário de uma operadora de telefonia, ainda não identificado pela polícia.

As informações foram divulgadas na tarde desta quinta-feira (26) durante uma entrevista coletiva sobre uma operação para combater crimes em geral na Baixada Santista.

Na residência do técnico, Thiago Anderson Santos Silva, de 28 anos, os investigadores apreenderam 64 celulares. O imóvel fica na Rua Santa Júlia, na Vila dos Pescadores, e foi vistoriado no final da noite de quarta-feira (25).

Após a diligência, a Delegacia de Cubatão iniciou um levantamento para identificar as vítimas e encaminhou os celulares para perícia do Instituto de Criminalística (IC).

Os aparelhos com sistema Android tinham os Imeis (identificação única presente em cada celular) alterados pelo suspeito, segundo a polícia. Já os com sistema operacional IOS não, pois o técnico não conseguia alterá-los, somente desbloqueá-los.

Como ainda não havia provas para um indiciamento por receptação, Silva foi liberado após o registro da apreensão. Porém, ele continuará sendo alvo da investigação para responsabilização penal futura.

A polícia não soube informar se o técnico já constituiu advogado. Ele não registra antecedentes.

Na avaliação do delegado Antônio Sérgio Messias, titular de Cubatão, a identificação do técnico as informações prestadas por ele serão fundamentais para o combate aos roubos no SAI.

“Os aparelhos, uma vez desbloqueados, não têm mais nenhum tipo de dificuldade no comércio. Por isso que são objetos de cobiça durante os roubos”, afirma Messias.

Operação

Deflagrada nas cidades de Santos, São Vicente, Cubatão, Praia Grande, Guarujá e Bertioga, a operação da Delegacia Seccional deteve um total de 280 pessoas entre as 11h de quarta-feira e as 11h de quinta-feira.

Foram retirados de circulação mais de 47 quilos de entorpecentes e quatro armas de fogo, conforme o balanço divulgado ontem à tarde pelo delegado seccional Manoel Gatto Neto, que concedeu entrevista juntamente com os delegados Messias e Luiz Ricardo de Lara Dias Júnior.

Gatto Neto ressaltou a importância da operação para gerar maior sensação de segurança à população e reduzir os índices de criminalidade.

Já Dias Júnior destacou o trabalho da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) e da Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes (Dise), as quais comanda, em ações específicas contra o tráfico, atingindo financeiramente o crime organizado por meio de apreensões.

Lara frisou que com a estrutura financeira obtida com o tráfico as quadrilhas executam crimes patrimoniais.

Das 280 pessoas detidas, 102 ficaram recolhidas: 17 autuadas em flagrante, 55 por ordem judicial e 30 adolescentes. As que cometeram crimes de menor potencial ofensivo, 178, foram liberadas após registros de Termos Circunstanciados (TCs).

Participaram 159 policiais, que agiram em 61 viaturas.

 

 

Diário da Copa

RUSSIA 2018
Faltam
dias para a Copa

Colunas

Contraponto