Santos

Pornografia infantil leva cinco pessoas à prisão na Baixada e Vale

No país, a megaoperação Luz da Infância 2 prendeu 251 pessoas em flagrante

Comentar
Compartilhar
17 MAI 2018Por Gilmar Alves Jr.19h14
Polícia Civil apreendeu CPUs, laptops, mídias, pendrives, roteadores, entre outros itens na Baixada e ValeFoto: Rodrigo Montaldi/DL

Cinco pessoas foram presas em flagrante na Baixada Santista e no Vale do Ribeira em flagrante nesta quinta-feira (17) por armazenaram conteúdo de pornografia infantil. As capturas fizeram parte da megaoperação Luz da Infância 2, a maior para reprimir crimes de abuso e exploração sexual contra crianças e adolescente já realizada em apenas um dia no mundo, segundo o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann. Ao menos 251 pessoas foram presas no país pelas Polícias Civis.

Na Baixada, conforme anunciou o delegado Luiz Ricardo de Lara Dias Júnior, titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Santos, foram presos quatro homens nas cidades de Santos, São Vicente, Guarujá e Praia Grande. Os flagrantes ocorreram durante o cumprimento de mandados de busca e apreensão. Dois dos quatro homens foram soltos após pagamento de fiança. Mais cinco mandados para vistoriar residências foram cumpridos na Baixada.

No Vale do Ribeira, de acordo com o delegado seccional de Registro, Flávio Ruiz Gastaldi, um homem foi preso em flagrante em Miracatu e um outro mandado de busca e apreensão foi cumprido em Juquiá.

Os nomes dos cinco homens não foram divulgados pelos delegados. Os acusados mantidos presos devem passar por audiência de custódia nesta sexta-feira (18).

Software

Um dos presos em Santos é um desempregado de 38 anos que tinha instalado em seu computador um software para transmissão dos arquivos com pornografia infantil. Por esse motivo, além de responder pelo armazenamento, ele também foi indiciado pelo crime de distribuir o conteúdo.

A casa do desempregado, local onde ele foi preso em flagrante no início da manhã, fica na Areia Branca. Ele residia com os pais, idosos, e o computador dele ficava na sala, conforme constatou a equipe do delegado Dias Júnior e do investigador-chefe, Paulo Carvalhal.

Uma perita do Instituto de Criminalística (IC) constatou que no computador do acusado havia cenas pornográficas com menores de 12 anos. Pela análise do software, ela constatou, também como prova, o compartilhamento do conteúdo.

O delegado Dias Júnior ressaltou que seis peritos saíram a campo. “É um crime que demanda um trabalho forense delicado. Os peritos nos acompanharam nas diligências de campo, foram até os imóveis, fizeram uma varredura inicial em todos os equipamentos eletrônicos identificados”, afirmou.

O delegado titular da DIG de Santos, Luiz Ricardo de Lara Dias Júnior, à direita, e o delegado seccional de Registro, Flávio Ruiz Gastaldi, concederam entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira (Foto: Rodrigo Montaldi/DL)

Em viagem

Um dos investigados na Baixada é um homem de 53 anos que está em viagem no exterior. Morador do Embaré, ele armazenava, segundo a polícia, grande quantidade de conteúdo com pornografia infantil em um cômodo na casa da irmã, no Boqueirão.

No local os policiais civis apreenderam uma CPU, dois laptops e outros equipamentos. O suspeito será responsabilizado criminalmente assim que retornar ao Brasil, conforme Dias Júnior.

Interrogatórios

De acordo com o delegado titular da DIG, os presos não negaram a posse do material, “contudo, alegaram, na sua maioria, que fazendo uso de emuladores pela internet baixavam os mais diversos arquivos e acabavam sendo surpreendidos por alguns dos arquivos que não eram o objeto de desejo”.

“Mesmo assim, mantiveram esses arquivos armazenados nas suas máquinas, o que por si só já caracteriza o crime previsto no artigo 241-B (Adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente)”, afirmou Dias Júnior. 

Colunas

Contraponto