01h : 56min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Ministério Público denuncia dentista apontado como serial killer

Flávio do Nascimento Graça é acusado de matar três pessoas e ferir duas entre 2014 e 2015

Comentar
Compartilhar
23 NOV 2016Por Da Reportagem18h25
Dentista apagou rastros na internet; paradeiro ainda é um mistério para a Polícia CivilFoto: Divulgação

O Ministério Público de São Paulo denunciou o dentista Flávio do Nascimento Graça que ficou conhecido como “maníaco da peruca”. Caso a Justiça aceite a denúncia, Graça irá responder por cinco homicídios qualificados, sendo três consumados e dois tentados. O paradeiro dele ainda é um mistério para a Polícia Civil.

De acordo com as investigações, os crimes foram cometidos por vingança, já que as vítimas abriram uma unidade da Clínica Americana, voltada a atendimento odontológico, na mesma rua do município de São Vicente onde o acusado tinha sua própria clínica, o que teria ocasionado diminuição de sua clientela e o fechamento de seu empreendimento.

O primeiro crime ocorreu em dezembro de 2014, quando o denunciado matou Agilson Correia de Carvalho, dono da Clínica Americana, atingindo-o na cabeça quando o mesmo saía de seu estabelecimento. Após a morte de Agilson, seus irmãos, Aldacy Correa de Carvalho e Arnaldo Correa de Carvalho; e seu sobrinho, Alex Macedo de Carvalho, passaram a administrar a clínica odontológica. Não satisfeito com o fato de a empresa concorrente continuar com suas atividades, Graça decidiu, então, matar também os familiares de sua primeira vítima.

Em julho de 2015, o acusado preparou uma emboscada, usando uma peruca black power para evitar ser reconhecido. Na ocasião, ele atirou contra as três pessoas, matando Aldacy na hora. Arnaldo passou 4 meses internado, mas também acabou falecendo em virtude dos ferimentos. Já Alex foi baleado de raspão no rosto, conseguiu se abrigar dentro de um táxi e fugir, evitando ser atingido fatalmente.

Em setembro de 2015, o denunciado resolveu se vingar de Sônia Cristina Saboya, que já havia sido sua funcionária e, à época dos fatos, trabalhava na Clínica Americana. Após observar a rotina de Sônia e constatar que ela usava bicicleta para se locomover até o local de trabalho, Graça, usando uma peruca loira, repetiu o modus operandi, permanecendo de tocaia e surpreendendo Sônia, atirando várias vezes contra ela e fugindo em seguida. Atingida no tórax e nos braços, a vítima recebeu pronto atendimento médico e sobreviveu.

Na denúncia, o promotor de Justiça Cássio Sartori destacou o fato de que Graça agiu por motivo torpe (vingança) e de emboscada, dois motivos qualificadores que podem aumentar a pena em caso de condenação perante o Tribunal do Júri.

Colunas

Contraponto

Construtora CredLar