Santos

Assessor do deputado Coronel Telhada é assassinado em São Paulo

O policial militar estava de folga e fazia a segurança de uma feira livre que acontece na rua aos domingos

Comentar
Compartilhar
20 NOV 2017Por Folhapress17h01

O sargento Hermes Vieira da Silva, 57 anos, assessor parlamentar do deputado estadual Coronel Telhada (PSDB), foi morto com quatro tiros no rosto e dois no peito em uma padaria em Itaquera (zona leste de São Paulo), na manhã deste domingo (19). O PM estava de folga e fazia a segurança de uma feira livre que acontece na rua aos domingos.

Segundo uma testemunha que também foi baleada, na virilha, dois homens desceram de uma motocicleta e atacaram o PM, que estava tomando café em uma padaria, na rua Flor de Caboclo, no Jardim Guarani.

Essa testemunha foi ouvida pelo coronel Telhada no hospital, afirma o deputado. "Conversei com o senhor que estava lá junto, viu tudo e tentou ajudar o Silva. Ele falou que os dois homens desceram da moto armados com revólveres calibre .38 e atacaram o sargento, tentando pegar as duas pistolas que ele usava para fazer a segurança da feira", afirmou o deputado estadual.

"Na briga, eles levaram a melhor e deram quatro tiros no peito e dois na cabeça do meu assessor, além de acertar na virilha o outro homem", afirmou Telhada.

O sargento e o outro ferido foram socorridos no PS Ermelino Matarazzo, mas o policial não resistiu aos ferimentos. "É uma execução. Os dois desceram da moto, tentaram desarmá-lo e acertaram seis tiros nele.

Tenho informações de que ao menos um deles foi baleado pelo sargento. Se isso for verdade, deverão ser pegos em breve", disse o parlamentar.

Segundo Telhada, o sargento trabalhava com ele havia 25 anos. "Desde que eu era vereador. Era pai de família e avô. É mais uma lamentável ocorrência de policial assassinado nessa onda de violência que varre o país", disse o deputado.

Silva era pastor na Igreja Evangélica Avivamento Bíblico. O caso foi registrado pela polícia como homicídio.

Colunas

Contraponto