Banner gripe

Barbearias: tradição e modernidade se encontram nas ruas de Santos

De acordo com pesquisa, vaidade masculina cresce no país

Comentar
Compartilhar
16 ABR 2018Por Vanessa Pimentel11h21
Tradição e modernidade se encontram barbearias de SantosFoto: Rodrigo Montaldi/DL

Desde 1962, o barbeiro Hilário Garcia Carvalho atende seus clientes na Rua Martim Afonso, no centro da cidade de Santos. O profissional de 84 anos de idade passeou por outros salões na mesma via, até estacionar no número 20, há 11 anos. 

O espaço é simples mas conhecido e atrai olhares pela originalidade do nome - “Salão do Hilário Jabuca” - e pela quantidade de fotos pendurada nas paredes, “224, fora as que faltam pendurar”, diz ele.  


As imagens são registros de mais de meio século na profissão, cortando cabelo e barba de políticos da região, gente famosa, jogadores de futebol e dos familiares pausados em momentos bons de recordar. O Jabuca é em homenagem ao time do coração, Jabaquara, agremiação santista fundada em 1914. 

Hilário começou a vida profissional engraxando sapatos em frente a uma barbearia em Jaú, interior de São Paulo, aos 14 anos. “Aprendi a fazer barba em 90 dias, só de olhar o trabalho dos outros”, afirma. Desde então atendeu em diversas cidades: Bauru, Araraquara, Rio de Janeiro, São Paulo até chegar a Santos, em 1964. 

Dono de uma das barbearias mais tradicionais da cidade, Hilário não é adepto das modernidades aplicadas nas novas empresas do nicho que abrem por aqui. “Não mudo o preço do serviço há cinco anos porque meus clientes são fiéis e porque ofereço o necessário para uma barba e cabelo bem feitos, o resto é conversa”, e brinca que se um cliente dele faz o serviço em outro lugar e volta lá para arrumar, ele cobra mais caro.  

Como a maioria dos clientes é antigo, Sr Hilário também vai a casa deles quando adoecem. “Infelizmente já perdi muitos amigos”. 

Com uma média de 20 clientes diários que não pagam mais de R$25 pelo serviço, o tradicional salão segue firme mesmo com o boom das barbearias vintages que procuram resgatar o charme do antigo ramo com a modernidade de hoje. 

A reinvenção das barbearias

Foi desta forma que Marcos Rosa enxergou o desafio proposto pelo sobrinho e o filho, hoje sócios, na empreitada de abrir uma franquia da Barbearia Club Men Salon, em Santos.

"Eu nunca tinha pensado nisso antes. Inicialmente fiquei pensativo porque o mercado aqui é complicado, tem que ser diferente para atrair a clientela, mas quando vi a proposta, o requinte, a decoração do ambiente fui conquistado", explica Marcos.  

O passo seguinte foi a pesquisa de mercado e de local.  O ponto tinha que ser ideal, o que segundo ele, aconteceu quando passou em frente ao imóvel com placa de aluga-se na Rua Oswaldo Cruz, 322, onde estão há um ano e sete meses.

"Essa rua é referência para cortes de cabelo. Ela sempre foi conhecida pelos tradicionais profissionais que atuam aqui, mas que não tinham a mesma ideia que a nossa. A escolha do local foi tão importante que acho que se tivéssemos escolhido outro lugar, não teria dado certo, analisa.

O sucesso foi tão grande que os sócios montaram mais uma unidade no shopping Praiamar, inaugurada há dez meses e, em breve, abrirão a primeira loja da franquia em São Vicente. 

"Acredito que o mercado moderno reinventou as barbearias, mas não deixou de lado as técnicas do passado como a toalha quente para iniciar o processo, os produtos que ajudam a abrir os poros, a massagem facial. São técnicas antigas, mas que se mantiveram nas barbearias modernas", analisa.

Dentro do novo negócio, a gama de serviços oferecidos pelos barbeiros também aumentou e vai além da barba, cabelo e bigode. Há serviços estéticos específicos para homens, como hidratação e depilação, tudo acompanhado por serviços de bar, jogos e videogame à disposição dos clientes. 

Segundo Marcos, o clima é tão descontraído que, às vezes, os fregueses passam por lá só para tomar uma cerveja ou jogar vídeo game com os amigos. O local também oferece o Dia do Noivo e reserva um espaço só para ele e os padrinhos dentro do salão enquanto se arrumam e se divertem. 

A proposta da barbearia moderna também atrai os idosos, que de acordo com Marcos, se identificam com as novas opções de cortes de cabelo e barba.


"Tem gente que tem uma maneira de cortar o cabelo sempre igual e mantém o mesmo visual durante anos, aí chega aqui, vê as opções e de repente se tranforma. Proporcionar essa mudança é muito legal", comemora..

De acordo com pesquisa, vaidade masculina cresce no país

De acordo com uma pesquisa sobre vaidade masculina encomendada pela Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC) em 2016, 45% dos homens entrevistados se declararam vaidosos e passaram a procurar por tratamentos para o cabelo e pele, o que antes eram procedimentos quase que exclusivamente voltados ao público feminino. 

Ainda segundo os dados, 54% dos homens afirmaram que vão com frequência ao salão e 40% deles passam por dermatologistas.  

O mercado de cosméticos masculinos também abriu novos caminhos na indústria da beleza, e vem se transformando ao longo dos últimos anos. Em 2016, segundo a Factor Kline, o setor atingiu o faturamento de vendas de US$4,5 bilhões, com taxa de crescimento superior a 3% nos últimos 5 anos (2011 a 2016).

Os dados positivos são impulsionados por homens cada vez mais cientes da necessidade de cuidados pessoais com o corpo e a beleza. Um bom exemplo da ascensão do mercado masculino é o crescimento de barbearias, segmento que está a pleno vapor com abertura constante de novas lojas para atender um consumidor cada vez mais exigente.

O crescimento deste setor tem previsões ainda mais otimistas para um futuro próximo. De acordo com o Global Industry Analysts Inc, o mercado global masculino deve duplicar seu crescimento e valerá US$ 43,6 bilhões até 2020. .

Diário da Copa

RUSSIA 2018
Faltam
dias para a Copa

Colunas

Contraponto