04h : 59min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Vereador Hugo Duppre defende assessor de peso

Urbano Bahamonde Manso, diretor presidente do Hospital Santo Amaro (HSA), trabalharia na Câmara pelas manhãs

Comentar
Compartilhar
05 JUL 201312h25

Apesar de ter que trabalhar oito horas na Câmara de Santos, mesmo dando expediente de segunda à sexta-feira no Hospital Santo Amaro (HSA), em Guarujá, e não ter sido o nome reconhecido por um colega de gabinete, o vereador Hugo Duppre tentou justificar ontem a contratação do diretor presidente da unidade hospitalar Urbano Bahamonde Manso.  

“O assessor lotado em meu gabinete tem prestado serviços jurídicos e outros na minha atividade parlamentar, principalmente nas áreas da Saúde e do Meio Ambiente. Ele tem se apresentado para atividades no meu gabinete pelas manhãs, quando costumo me reunir com a equipe, nas sessões plenárias e em atividades externas”, informou
Duppre, por intermédio de sua assessoria.   

O parlamentar continua: “podemos citar, entre outras ações desenvolvidas pelo senhor Urbano, trabalhos indicativos e de requerimentos apresentados em plenário por mim e o desenvolvimento de uma agenda pró-ativa na área da Saúde e Meio Ambiente, como do controle de poluentes na atmosfera na área urbana de Santos e atenção ao recém-nascido”.

Segundo Duppre, “ele pode ser desligado caso entendamos que a sua produtividade ou o fato de acumular a função de direção no hospital tem comprometido o seu trabalho parlamentar” (Foto: Arquivo/DL)

Ainda segundo Duppre, “como se trata de cargo em comissão, ele pode ser desligado caso entendamos que a sua produtividade ou o fato de acumular a função de direção no Santo Amaro tem comprometido o seu trabalho parlamentar”.

Procurado, Urbano Manso não quis se manifestar a respeito do assunto. A Sociedade Santamarense de Beneficência, mantenedora do HSA, também nada quis dizer sobre a questão. O presidente da Câmara de Santos, Sadao Nakai (do partido de Duppre), minimizou o imbróglio enfatizando que o controle da frequência dos assessores é competência dos vereadores.

“Até 30 de junho, essa frequência era atestada pelos vereadores à Seção de Recursos Humanos, por escrito. Desde 1º de julho último, conforme a Ordem de Serviço 134/2013, os assessores registram a frequência em folhas de ponto destinadas especialmente a esta finalidade, e estas são controladas e certificadas pelos vereadores, e encaminhadas no primeiro dia útil do mês subsequente à Seção de Recursos Humanos”,

Denúncia

O caso foi denunciado anonimamente e, ontem, publicado com exclusividade pelo Diário do Litoral. Advogado por formação, Manso teve sua nomeação publicada no Diário Oficial de Santos no último dia 27. A Reportagem ligou para os dois locais que Manso “bate cartão”.

No HSA, ele trabalha segunda, quarta e sexta-feira somente no período da tarde e, terças e quintas-feiras, período integral. Na Câmara, segundo seu chefe (Hugo Duppre) Manso comparece de manhã.  

Pela lei, assessor parlamentar trabalha de segunda à sexta-feira, mas também aos sábados e domingos, a critério de cada vereador. Isso porque o assessor parlamentar pode, por exemplo, representar o vereador em solenidades ou eventos, quando assim for determinado.

Conforme especificado no Ato da Mesa nº 9/1999, as funções do assessor parlamentar são: secretariar e assessorar o vereador; promover a elaboração, datilografia ou digitação de proposituras, ofícios e outros documentos, e acompanhar o seu trâmite até o arquivamento.

Também cuidar da expedição e recebimento de correspondências; organizar a agenda do vereador; receber e encaminhar processos mediante orientação do vereador; representá-lo o em solenidades e eventos quando assim for determinado e executar atribuições inerentes ao cargo, quando assim for determinado pelo vereador.

Colunas

Contraponto