Dorival culpa calendário por rendimento abaixo do esperado do São Paulo

O treinador acredita que o time não conseguiu manter o ritmo por conta do cansaço causado pela maratona de jogos no início desta temporada

8 FEV 2018 • 10h52
Dorival Júnior não ficou totalmente satisfeito com o desempenho do São Paulo na vitória por 1 a 0 sobre o Bragantino, nesta quarta-feira (7), no Morumbi - Rubens Chiri / saopaulofc.net

Dorival Júnior não ficou totalmente satisfeito com o desempenho do São Paulo na vitória por 1 a 0 sobre o Bragantino, nesta quarta-feira (7), no Morumbi. O treinador acredita que o time não conseguiu manter o ritmo por conta do cansaço causado pela maratona de jogos no início desta temporada. Em menos de um mês, o time disputou seis partidas no estadual e uma pelo Copa do Brasil.

"Sempre teremos preocupação de fazermos o melhor. Quando fizemos jogo inteiros, em Mirassol, grande jogo. De lá para cá, seis partidas seguidas em 21 dias. Eu já imaginava. Senti que caiu de produção, não tem como contestar. Não teremos qualidade de jogo, como ninguém está tendo, vemos as dificuldades dos grandes. Não é específico do São Paulo, todos vivem isso, e antecipamos isso. Queríamos quantidade ou qualidade? Optamos pela quantidade e vemos um campeonato tecnicamente muito pobre em tudo, com todas as equipes", disse o treinador.

Depois de marcar o gol logo aos 5 minutos do primeiro tempo, com Nenê, o São Paulo administrou o resultado e ainda sofreu pressão do adversário. O goleiro Sidão teve boa participação e evitou o tento de empate do adversário.

"Trabalhamos para melhorar, mas, depois de 35 minutos da primeira etapa, caiu a marcação, dava sinais de que não estava totalmente encaixada em razão da sobrecarga absurda de jogos. Temos apenas a lamentar, porque queremos proporcionar grande espetáculo, mas não tem nem como exigir. Precisamos entrosar a equipe, então corremos risco. É um fato a enfrentar. Mas é a sexta partida da equipe titular, e só sofremos gol em uma, contra o Corinthians. Algo está mudando. Eles tiveram oportunidades, nós também, resultado aconteceu, como é mais importante, mas gostaríamos de dar impressão melhor. Mas a dificuldade é muito grande", completou Dorival.

Até por conta da maratona de jogos, o treinador preferiu não fazer uma previsão de quando o São Paulo deve apresentar uma evolução. "Não trabalho com prazo. Com um calendário como o nosso, não tem como mensurar futebol de qualidade, recuperando para ter o mesmo nível. Não tem como fazer essa previsão.

Muitas equipes com dificuldades, vi boa parte do Paulista e não vi nenhum grande jogo agora, raríssimas exceções de tempo para um, depois outro tempo para outra", disse o técnico.

No jogo desta quarta-feira, Dorival colocou o Nenê e Cueva para atuarem juntos entre os titulares pela primeira vez. No segundo tempo, os dois foram substituídos.

"Início bom, não demos oportunidade ao Bragantino, mas faltaram penetrações. Não tivemos tempo para fazer o que é adequado, Nenê acabou de chegar. Diego Souza trabalhou só sete dias, Cueva jogou menos", explicou Dorival.