As Cirandas de Maria: Auto de Natal nos ônibus de Santos

O formato inusitado de teatro itinerante em ônibus urbanos foi uma busca do grupo por espaços alternativos de apresentação, chegando mais perto das pessoas

18 DEZ 2017 • 13h01
O formato inusitado de teatro itinerante em ônibus urbanos foi uma busca do grupo por espaços alternativos de apresentação - Rodrigo Montaldi/DL

Pastorinhas vindas do Egito, que tentam encontrar o lugar onde acontecerá o nascimento do Deus menino, vão parar nos ônibus da orla de Santos no próximo final de semana. É dessa forma que se inicia a narrativa do auto de natal ‘As Cirandas de Maria’, realizado pelo grupo de Teatro de Pesquisas (TEP). Esta ação natalina denominada ‘Projeto Limites - Dramaturgia para ônibus urbanos’ começou nos anos 2000 e seguiu de forma ininterrupta por 13 anos. Este ano, após um hiato, o grupo volta a se apresentar.

O formato inusitado de teatro itinerante em ônibus urbanos foi uma busca do grupo por espaços alternativos de apresentação, chegando mais perto das pessoas que, muitas vezes, nunca tiveram a oportunidade de estar em um teatro.

“Quando as pessoas percebem que é uma apresentação teatral se divertem e a gente se aproxima do inconsciente delas, através dos olhares”, comenta o coordenador do projeto, Gilson de Melo Barros.

Com rimas e cantos, as pastoras se deparam com toda sorte de acontecimentos, sempre guiadas pela luz da estrela que aponta para os seus destinos. A encenação deste auto de natal ocorre nos dias 23 e 24 de dezembro, das 10 às 13 horas.

“A gente sobe no primeiro ônibus que passa na orla da praia e faz o espetáculo em torno de 17 minutos, ou seja, mais ou menos cinco pontos. Assim, conseguimos fazer dez apresentações por dia”, informa Barros.

O grupo também fará apresentações nos dias 05, 06 e 07 de janeiro. Todos os dias, por volta das 11h30, há uma apresentação campal, que acontece na praça do Aquário Municipal.

De acordo com o coordenador, a narrativa desenvolve-se a partir da apropriação de gêneros tradicionais da cultura brasileira que celebram tradicionalmente o ciclo natalino, como o Pastoril, Lapinhas e outras Cheganças, folguedos destinados a festejar e reverenciar o nascimento de Jesus Cristo, cujas bases originais estão fixadas em manifestações ibéricas datadas em registros que remontam ao século XII e que no Brasil foram introduzidos pelos jesuítas durante o período da nossa colonização.

Gilson de Melo Barros é também quem produz o texto e a direção do auto de natal. E o elenco conta com a participação de Bruna Telly, como Maria; Déia Oliveira, Estrela guia; Ernani Sequinel, Anjo Gabriel e Gaspar; Márcia Marques, Melquior; Tales Ordakji, Baltazar; Paula D’Albuquerque, Pastora, e Camila Baraldi como a Mestra das pastoras e Narradora das ações a acontecer. O trabalho conta ainda com figurinos de Lindalva Parolini e produção de Mauricio Garcia.

ProAc

A realização desta temporada do auto de natal, retomando a tradição do teatro itinerante, só foi possível porque o grupo conquistou um edital do Programa de Ação Cultural (ProAc), lançado pelo governo do Estado de São Paulo através da Secretaria de Cultura do Estado, para fomento de apoio à manifestações tradicionais de cultura.

“Sempre participamos, mas os editais são muito concorridos. Este ano, conquistamos o segundo lugar”, explica o coordenador. Ao todo, o edital recebeu 142 inscrições de todo o País. As manifestações culturais precisam acontecer no estado de São Paulo.

O projeto conta ainda com os apoios da Universidade Santa Cecília (Unisanta), Secretaria Municipal de Cultura de Santos e Viação ­Piracicabana.