Banner Sabesp

ONU pede mais ambição de governos e sociedade para combate à mudança climática

O secretário-geral da ONU, António Guterres, que participou ontem da conferência One Planet (Um Só Planeta), em Paris

Comentar
Compartilhar
13 DEZ 2017Por Agência Brasil19h30
António Guterres em discurso na conferência One Planet, em ParisFoto: ONU News

“Ainda não estamos ganhando a guerra contra a mudança climática, porque os compromissos atuais não são suficientes para cumprir com as metas do Acordo de Paris”. A afirmação é do secretário-geral da ONU, António Guterres, que participou ontem da conferência One Planet (Um Só Planeta), em Paris. A informação é da ONU News.

Ele pediu mais ambição dos governos, da sociedade civil, do setor privado e do setor financeiro para o combate às mudanças climáticas. E fez um apelo aos países mais ricos, para que honrem os compromissos do tratado do clima e ajudem a angariar US$ 100 bilhões por ano para que as nações em desenvolvimento consigam se adaptar às mudanças climáticas.

O chefe da ONU lembrou que o Acordo de Paris criou a base para uma "ação ambiciosa", mas todos os dias, em todas as regiões, ocorrem desastres relacionados ao clima, como "tempestades, enchentes, secas e incêndios". Segundo Guterres, o nível na atmosfera de dióxido de carbono é o mais alto já alcançado em 800 mil anos. E neste ano de 2017 houve o primeiro aumento das emissões de CO2 dos últimos três anos.

O secretário-geral afirmou ainda que os últimos cinco anos foram os mais quentes já registrados.
Por esses motivos, o mundo está, segundo ele, em "uma guerra pela existência da vida no planeta, mas existem aliados importantes – a ciência e a tecnologia".

“Negócios verdes são negócios bons”

Guterres explicou que a ciência já havia previsto o que está acontecendo agora e que o progresso tecnológico já provou ser falsa a afirmação de que combater a mudança climática é uma ameaça à economia.

Ele falou sobre ações que já estão sendo tomadas por agentes financeiros globais e empresas privadas, como companhias de petróleo e de gás, para melhorar a situação. Na avaliação do secretário-geral, "negócios verdes são bons negócios" e por isso, “o futuro será cinza para quem não apostar na economia verde”.

Guterres lembrou que essa é uma responsabilidade coletiva, sendo o setor privado parte central da solução. A conferência One Planet, que teve como anfitrião maior o presidente francês Emmanuel Macron, marcou os dois anos da assinatura do Acordo de Paris e reuniu, na capital francesa, líderes de vários países e dos setores financeiros públicos e privados.

Colunas

Contraponto