Pref 13 e 14

Grande incêndio em prédio residencial de Londres deixa ao menos 6 mortos

Por volta de 200 bombeiros tentam apagar as chamas, que vão do segundo até o último andar. Ao menos 20 ambulâncias foram deslocadas para a região

Comentar
Compartilhar
14 JUN 2017Por Folhapress10h05
As autoridades dizem que o número de mortos pode aumentar pois muitas pessoas podem ter ficado presas no edifícioFoto: Jonathan Brady/Associated Press/Estadão Conteúdo

Um incêndio de grandes proporções em um prédio residencial de ao menos 24 andares e 120 apartamentos deixou pelo menos 6 mortos e 74 feridos na madrugada desta quarta-feira (14) em Londres.

As autoridades dizem que o número de mortos pode aumentar pois muitas pessoas podem ter ficado presas no edifício. Ainda não se sabe a causa do incêndio

Segundo a comissária dos bombeiros Dany Cotton, este é um "incidente sem precedentes" na capital britânica. O resgate demorou seis minutos para chegar ao local.

A polícia londrina diz que moradores do prédio foram retirados do edifício e que os feridos foram levados a hospitais. Cerca 20 feridos estão em estado grave.

Testemunhas disseram que era possível ver pessoas pedindo ajuda nas janelas.

Por volta de 200 bombeiros tentam apagar as chamas, que vão do segundo até o último andar. Ao menos 20 ambulâncias foram deslocadas para a região.

De acordo com a polícia, ainda é cedo para avaliar os danos ao edifício e o risco de desabamento não deve ser descartado.

Moradores de ao menos 30 casas e apartamentos vizinhos ao prédio foram retirados pelo risco de queda de destroços do prédio.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, disse por meio de um porta-voz estar "profundamente triste pela trágica perda de vida" no incêndio.

Prjeto

Construído em 1974, o prédio Grenfell Tower fica em Lancaster West Estate, na região oeste da cidade.

Segundo o jornal "The Guardian", moradores do prédio receberam em 2014 uma mensagem que dizia que, em caso de incêndio, eles deveriam permanecer em seus apartamentos até receber segunda ordem.

O documento indicava que a Grenfell Tower era projetada de acordo com "rigorosos padrões de segurança contra incêndio" e que as portas eram capazes de segurar o fogo por até 30 minutos.

A Rydon, empresa que reformou o prédio em 2016, disse que as obras "atenderam todos os padrões de controle e segurança".

Colunas

Contraponto