Atriz pornô processa Trump para anular termo para omitir suposta relação

O termo de confidencialidade foi feito e assinado pelo advogado pessoal do presidente, Michael Cohen, em 28 de setembro de 2016, dez dias antes da eleição

Comentar
Compartilhar
07 MAR 2018Por Folhapress10h01
Atriz pornô processa Trump para anular termo para omitir suposta relaçãoFoto: Dan Scavino Jr/ White House

 A atriz pornô americana Stormy Daniels abriu nesta terça-feira (6) um processo contra o presidente Donald Trump para invalidar um documento em que ela teria se comprometido a não comentar as supostas relações sexuais que tiveram.

Daniels, cujo nome verdadeiro é Stephanie Clifford, afirma que ela e o presidente mantiveram um relacionamento entre meados de 2006 e o início de 2007, quando Trump já era casado com Melania e seu filho mais novo, Barron, era recém-nascido.

O termo de confidencialidade foi feito e assinado pelo advogado pessoal do presidente, Michael Cohen, em 28 de setembro de 2016, dez dias antes da eleição. Cohen diz ter pago US$ 130 mil do próprio bolso para que a atriz firmasse o documento.

No processo, aberto em um tribunal de Los Angeles, ela argumenta que o termo é nulo porque o mandatário nunca o assinou pessoalmente e pede a invalidez para poder dar detalhes sobre a suposta relação.

A atriz afirmou que se encontrou com Trump em Lake Tahoe, no estado de Nevada, e em Beverly Hills na Califórnia. Segundo ela, eles fizeram sexo juntos uma vez, dando início a uma relação platônica. Tanto Cohen quanto Daniels negam que ela tenha sido amante do presidente.

A ação judicial, porém, deve ser considerada inválida porque só foi assinado pela atriz e pelo advogado e porque as partes envolvidas trocaram seus nomes no acordo feito por Cohen. 

Nele, o nome usado para se referir ao mandatário era David Dannison e a ela, Peggy Peterson, embora um anexo exibissem suas identidades reais.

Daniels acusa o advogado e o presidente de tentar silenciá-la de forma agressiva para assegurar sua vitória nas eleições e cita, entre as tentativas de intimidação, um processo aberto por Cohen em um tribunal de arbitragem na semana passada.

Também acusa o defensor de Trump de forçá-la em janeiro a assinar uma declaração em que negava a existência da relação. O caso foi revelado no dia 12 daquele mês pelo jornal The Wall Street Journal. 

Em fevereiro, a revista New Yorker afirmou que o presidente teve outro caso extraconjugal com a ex-modelo da revista Playboy Karen McDougal no mesmo período das supostas relações com Stormy Daniels. O republicano também nega a existência da relação.

Colunas

Contraponto