Entrada da Cidade

Ataque do Estado Islâmico a igrejas na Indonésia deixa pelo menos 11 mortos

A Indonésia abriga a maior população muçulmana do mundo. E as minorias religiosas no país, especialmente os cristãos, têm sido alvo de ataques.

Comentar
Compartilhar
13 MAI 2018Por Folhapress23h02

Três ataques, num intervalo de dez minutos, a igrejas na Indonésia neste domingo (13) mataram pelo menos 11 pessoas e deixaram 41 feridas.

As explosões nas igrejas (católica, protestante e pentecostal) foram o mais sangrento ataque desde os incidentes na véspera de Natal em 2000, quando 15 pessoas morreram e cerca de cem ficaram feridas.

A Indonésia abriga a maior população muçulmana do mundo. E as minorias religiosas no país, especialmente os cristãos, têm sido alvo de ataques.

O primeiro ataque, às 7h30 (horário local) atingiu a Igreja Católica de Santa Maria, em Surabaya, matando quatro pessoas, informou o porta-voz da polícia, Frans Barung Mangera.

De acordo com ele, esse ataque foi seguido de uma segunda explosão, pouco minutos depois, na igreja cristã de Diponegoro e, depois, na Igreja Pentecostal Central. Os três incidentes ocorreram num intervalo de dez minutos.

O presidente indonésio Joko Widodo foi até a cidade de Surabaya, a capital da província de Java Oriental, após os ataques. Ele disse que os ataques suicidas foram "bárbaros" e pediu que as investigações descubram os mandantes dos atentados.

Colunas

Contraponto