Banner Codevida

Após fechar acordo com democratas, Trump critica republicanos

A superemenda que liga a aprovação da ajuda às vítimas dos furacões ao teto superou as objeções dos republicanos mais conservadores

Comentar
Compartilhar
09 SET 2017Por Estadão Conteúdo04h30
Donald Trump membros do partido RepublicanoFoto: Associated Press

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, criticou nesta sexta-feira membros do partido dele, o Republicano, um dia depois de chegar a um acordo com senadores democratas para condicionar a aprovação da ajuda às vítimas dos furacões Harvey e Irma à elevação do teto de gastos.

A superemenda que liga a aprovação da ajuda às vítimas dos furacões ao teto superou as objeções dos republicanos mais conservadores. O texto foi aprovado pelo Senado na quinta-feira e pela Câmara na sexta-feira.

Em referência ao fracasso dos republicanos em chegar a um consenso para as mudanças da legislação de Saúde, Trump disparou as críticas. "Republicanos, me desculpem, mas ouvi falar sobre revogar e substituir por 7 anos e não aconteceu!", tuitou.

Trump se queixou também do rito legislativo, que exige 60 votos de senadores para que ocorram mudanças como a revogação e substituição da Lei da Saúde. "Nesta regra, os republicanos jamais vão passar qualquer grande legislação. 8 democratas acabam controlando - raramente uma lei vai receber 60 votos. É um desejo de morte dos republicanos", afirmou.

Também no Twitter, Trump pediu que os republicanos no Congresso que comecem a trabalhar imediatamente em uma reforma fiscal.

"Os republicanos devem começar a reforma tributária o mais rápido possível. Não esperem até o final de setembro. Pressa!", disse.

Colunas

Contraponto