10h : 27min

Assine o Diário e o Santista por R$8 por mês no plano atual

Seguro viagem, 5 dicas

Durante uma viagem, todos estão sujeitos a imprevistos, como, por exemplo, ficar doente, precisar de uma internação hospitalar, ter a bagagem extraviada, entre muitas outras situações. Principalmente quando se viaja com crianças ou idodos (por serem mais

Comentar
Compartilhar
15 JAN 2017Por Da Reportagem15h00
Foto: Divulgação

Já tive que chamar médicos em hotel e se eu não tivesse contrato um seguro o gasto teria sido exorbitante. Se o turista não tiver um seguro viagem, esses transtornos podem fazer o gasto total do passeio triplicar. 
 O seguro de viagem pode ser contratado diretamente com um corretor ou em sites de seguradoras. Seja ela online ou física, a fim de evitar transtornos o turista deve checar a ideonidade da empresa (em site como reclame aqui por exemplo). Os principais cartoes de crédito também possuem seguros gratis quando as passagens são compradas com o cartão (caso seja viagem de avião) entre em contato com a bandeira de seu cartão. Os valores variam de acordo com a abrangência da cobertura e a idade do contratante, além do period de estádia. 
Conversei com o diretor da Célebre Corretora, empresa do segmento de planos de saúde e seguro saúde, que listou 5 dicas na hora de se contratar um seguro viagem.
 
1. No momento da contratação do seguro viagem, dê prioridade para a assistência médica
Complicações relacionadas à saúde são as que possuem maiores chances de aumentar os gastos da viagem de forma exponencial. Portanto, ao contratar o serviço, atente-se primeiro para questões médicas e, posteriormente, verifique a possiblidade de inclusão de outros itens, como perda de itens pessoais.
 
2. Pesquise o valor de procedimentos médicos no país de destino
Quando falamos em saúde, cada país possui custos específicos para determinados serviços. Portanto, é ideal que o contratante do seguro viagem pesquise sobre os valores praticados para  certos procedimentos médicos no país de destino. “Com a realização da pesquisa, a pessoa terá a base necessária para definir as coberturas que estarão incluídas no seguro, além de minar o risco de contratar um serviço que, eventualmente, não inclua certa cobertura, o que pode resultar em gastos extras para o turista”.  
 
3. Se necessário, inclua a funcionalidade de doença preexistente na cobertura
Boa parte das opções de seguro viagem disponíveis no mercado não oferecem coberturas para doenças que o indivíduo tinha antes de sair do Brasil, as chamadas doenças preexistentes.  “Portanto, recomendo que a pessoa que possua uma doença crônica, solicite o acréscimo de tal funcionalidade no seguro. Além disso, fazer um check-up médico antes da viagem, com o objetivo de evitar eventuais surpresas, também é uma prática que deve ser feita pelos futuros turistas”, pondera Alves.
 
4. Informe-se  sobre as especificações caso tenha o objetivo de praticar atividades de risco
No caso de viajantes que planejam praticar alguma atividade de risco, Alves ressalta que é fundamental que o contratante exponha esse desejo ao corretor.  “Se o contratante não informar ao corretor que fará alguma atividade de risco na viagem, como um esporte radical, por exemplo, ele não terá direito a receber a cobertura, caso aconteça algum tipo de acidente durante a prática”, lembra o especialista. O executivo pontua que ao passar essa informação ao profissional especializado, ele vai indicar um seguro que prevê cobertura para acidentes relacionados a essa atividade ou sugerir a contratação de uma cobertura adicional.
 
5. Atenção para as condições de cancelamento
Em relação a questão de reembolso para contratantes que fizerem o cancelamento do seguro viagem, o diretor da Célebre Corretora destaca que cada empresa possui sua política. “Então, antes de fechar negócio, questione ao corretor sobre o prazo para cancelar o serviço sem precisar arcar com custos adicionais”, finaliza Alves.

Colunas

Contraponto