19h : 35min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

O frio não precisa ser sinônimo de quilos extras

É normal sentir mais fome durante o Inverno e você pode consumir os alimentos sem culpa. A sopa caseira pode ser muito nutritiva se preparada com os devidos cuidados

Comentar
Compartilhar
09 JUL 2017Por Da Reportagem15h02

Não adianta negar, Inverno é sinônimo de comilanças! Tempo de festas típicas, quentão, vinho quente, chocolate quente, fondue, sopas e feijoada. Sem falar nas sopas e caldos. Tudo calórico, mas que aquece o corpo e a alma.

Embora a ingestão de tais alimentos não seja errada, propiciando saciedade e bem-estar, o consumo inadequado, com exageros e descompensação de calorias e falta de atividades físicas, além de proporcionar ganho de peso, pode provocar malefícios à saúde física e mental.

O ideal é que se tenha equilíbrio. Não há necessidade de abdicar de tudo, assumindo uma postura radical, limitando-se e passando vontade. Nos períodos mais frios, é normal sentirmos um pouco mais de fome, visto que o corpo gasta mais energia do que habitualmente. Para manter a temperatura estável e compensar a perda energética, é necessário consumir mais calorias. Mesmo com o aumento do apetite, é possível consumir alimentos saudáveis e com baixas calorias, que podem contribuir para a saúde e “alimentar” o paladar.

Veja alguns exemplos, a sopa caseira pode ser muito nutritiva se preparada com os devidos cuidados. O ideal é que não se utilizem temperos prontos, pois têm uma grande quantidade de sódio e gorduras saturadas, componentes que aceleram o aumento de peso e podem até agravar as doenças cardiovasculares.

As sopas mais adequadas são à base de legumes e verduras, principalmente as de folhas como repolho, espinafre e agrião. Para sabores diferentes, experimente uma de alho poró ou de creme de moranga.

Beber chá propicia vários benefícios à saúde. Antioxidante e cardioprotetor, o chá aumenta o metabolismo. Tanto os chás de sachê quanto os de folhas in natura podem ser consumidos. Os chás verdes, que têm a planta Camellia Sinensis, substância funcional, são essenciais, pois aumentam o metabolismo.

Estudos comprovam que a ingestão moderada de vinho tinto seco reduz o risco de doenças cardiovasculares, respiratórias e demências. Todos esses benefícios estão relacionados a substâncias antioxidantes presentes na uva, que são potencializadas com a fermentação, processo utilizado na fabricação dos vinhos. A indicação é de 150 ml, ou seja, um cálice por dia.

As frutas típicas do inverno são: abacaxi pérola, melão, morango e caju. Todas elas são fontes de vitamina C, nutriente muito importante para o sistema imunológico, principalmente no Inverno. Além disso, esse grupo de frutas é rico em fibras que ajudam a controlar o colesterol e a glicemia e favorecem o bom funcionamento intestinal. Uma fatia média de melão contém 19 calorias; nove unidades de morango, 43 calorias; uma unidade de caju, 37 calorias; e cem gramas de abacaxi pérola, apenas 48 calorias.

A canela tem ação estimulante, termogênica e antidiarreica, o que facilita a digestão, diminui o colesterol LDL, controla a glicose e diminui a compulsão por carboidratos e doces. Além disso, ela protege o corpo de doenças respiratórias por conter propriedades antibacterianas, expectorantes e anti-inflamatórias.

O gengibre é uma raiz é rica em vitamina C, que favorece o bom funcionamento do sistema imunológico, cicatrização de feridas, proteção das gengivas e ação antioxidante, contra os radicais livres. O gengibre contém vitaminas B3 e B6, que ajudam a aliviar os sintomas da TPM, e minerais antioxidantes, como magnésio, selênio e zinco. Ele também pode ser consumido cru, refogado ou em forma de chá, utilizado como tempero e até adicionado a sucos. A recomendação é de um pedaço de dois centímetros, três vezes ao dia, ou então fazer um chá com um pedaço de seis centímetros e tomá-lo três vezes ao dia.
Fuja das bebidas destiladas; elas são calóricas e não fazem bem à saúde.

Colunas

Contraponto