22h : 30min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Neuschwanstein:

O verdadeiro castelo dos contos de fadas na Alemanha

Comentar
Compartilhar
14 OUT 2016Por Da Reportagem17h16
Foto: Divulgação

Surgindo como uma miragem em meios as montanhas está o castelo mais famoso do mundo, o Schoss Neuschwantein (em alemão), que serviu de inspiração para Walt Disney construir o castelo da cinderela, e que hoje é usado como logotipo da empresa.
O castelo supera qualquer conto de fadas com sua imponência e grandiosidade. Ele se localiza na cidade de Füssen (que faz parte da rota romântica), quase fronteira com a Áustria e a 131 km de Munique. 
Füssen é uma ótima opção para servir como base, uma renomada estância de férias e tratamentos de saúde, no leste da região de Allgau. Mas também pode-se considerar um bate e volta da cidade de Munique.
O Rei Luis II da Baviera foi o idealizador do castelo no século XIX, que se inspirou na obra de seu amigo, o grande compositor de ópera Richard Wagner. Ao invés de um arquiteto o rei chamou Christian Jank, um desenhista de cenários teatrais. A escolha já mostra um dos motivos do diferencial desse castelo.
Durante 17 anos, o rei colocou na obra todo o dinheiro que tinha e que não tinha também, resultando em uma dívida monstruosa, que não agradou nada a família real.    
Por isso esse conto de fadas teve um final trágico para o Rei e que foi envolto em muito mistério. Ele foi declarado insano pela Comissão do Estado em 1886 e passou apenas 170 dias em seu tão sonhado castelo. Logo depois foi levado para Berg e foi encontrado morto em um lago. Teria se suicidado junto de seu psiquiatra, mas até hoje ninguém sabe ao certo o que aconteceu. 
O projeto majestoso previa 360 cômodos, mas só 15 foram finalizados. A arquitetura e a decoração são uma mescla interessantes de estilos históricos: bizantino, no caso do Salão do Trono, romântico nos aposentos privados, e gótico, no impressionante Salão dos Cantores. Há muitas referências a óperas de Wagner, como a pia com a torneira em forma de cisne, uma bela  homenagem a opera “Lohengrin”. 
Para conhecer o castelo por dentro é necessário fazer uma visita guiada que custa 12 euros e dura cerca de meia hora. Para agendar a melhor solução é reservar com antecedência pela internet no site oficial. As visitas tem áudio em português facilitando assim os turistas brasileiros a compreender, e emergir na história. 
Existem três formas de chegar ao castelo: à pé, de charrete ou ônibus. A caminhada é com ladeiras muito inclinadas, por isso é para os mais aventureiros. Já a charrete custa 6 euros e é uma forma mágica de voltar ao tempo.
Não deixe de ir a ponte Marienbrücke, de onde se tem a melhor vista do castelo. A Ponte da Maria foi nomeada assim em homenagem a Maria da Prússia. Para chegar nela você percorre um pequena trilha e se depara com a paisagem maravilhosa dos Alpes Bávaros e da famosa Floresta Negra. 

Colunas

Contraponto

Construtora CredLar