00h : 33min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Férias inesquecíveis em Cancun

A cidade, no México, é para os apaixonados por praia, agito, entretenimento, cultura e badalação, tudo isso brindado pelo maravilhoso mar caribenho

Comentar
Compartilhar
01 JAN 2017Por Da Reportagem17h01
Passar o Réveillon em Cancun é uma ótima opçãoFoto: Divulgação

Passar o Réveillon em Cancun é uma ótima opção para quem pretende iniciar o novo ano com muita diversão. Com uma natureza exuberante, parques repletos de atrações, divertimento noturno variado e uma espetacular rede hoteleira, Cancun tem, cada vez mais, atraído os brasileiros em suas viagens de final de ano e férias de janeiro. Para os apaixonados por praias, não deixe de visitar as paradisíacas Tortuga, Delfines e Chac-Mool. As casas noturnas são grandes atrações para os visitantes passarem a virada, ou mesmo se divertirem durante as férias. O Coco Bongo é um dos locais preferidos do público, com apresentações especiais de dança e tributos a astros da música internacional. 

A somente 40 minutos de Cancun, na Península de Yucatán, fica a Riviera Maya, um verdadeiro paraíso natural banhado pelas águas do Caribe, com belas paisagens e noites badalas para fazer do Réveillon uma data a ser lembrada. Com clima tropical atraente, o verão se torna contagiante pela orla que se estende por 130 quilômetros de areias brancas e mar azul. Com ampla infraestrutura para turismo, o local atrai pela natureza preservada e riqueza cultural, deixada pela civilização Maia. As ruínas de Tulum e os parques aquáticos de Xel-Há e Xcaret são destaques, juntamente com a zona arqueológica de Chichen Itzá.

O ano novo é uma das épocas mais cheias da Riviera Maya, pois os turistas americanos e canadenses fogem do frio do inverno e os mexicanos vão curtir a temporada, sem contar outros turistas da América Latina. Todo ano a região recebe vários festivais e diversas baladas fazem uma festa nas férias com opção para todos os estilos, mas lembre-se de fazer a reserva com antecedência. Os mais reservados podem curtir as praias privativas dos resorts que também oferecem programação especial para esta época do ano.

Cancun é um paraíso turístico que nasceu há mais ou menos trinta anos, quando alguém resolveu construir uma pousada numa colônia de pescadores. O caso é que a pousada foi ficando famosa e atraiu a atenção de turistas e investidores.

Hoje, dos pescadores nem o rastro; em compensação no lugar foi construída uma cidade com muito conforto tendo como pano de fundo a natureza mais que abençoada da Península de Yucatán, no México.

São vinte e três quilômetros de uma estreita faixa de terra e uma única avenida. De um lado, a vastíssima Lagoa de Nichupté; e do outro, o Mar do Caribe, seus recifes e suas águas azul-turquesa.

A única avenida, Kukulcán Boulevard, tem quatro pistas e abriga quase cem hotéis de primeira categoria, entre condomínios elegantes, shoppings, restaurantes, clubes de golfe, marinas e centros de lazer. Os jardins são belíssimos, as calçadas muito limpas, não existem buracos no asfalto e o transito jamais se congestiona. A cidade foi cuidadosamente planejada. Poderia até se dizer que é uma "cidade de proveta" feita com a única intenção de agradar aos visitantes. E conseguiu.

As praias também são limpíssimas. Todas as noites um exército invisível varre a areia e um motor de sucção limpa a água dos excessos de algas e outros dejetos. 

O resultado é que ninguém fica fechado no hotel. Andar na rua é seguro, mesmo à noite quando as casas noturnas emprestam um colorido especial à paisagem. Os restaurantes costumam funcionar até às 23 horas e discotecas e nightclubs amanhecem abertos. Os ônibus circulam à noite toda e não tem como ninguém perder o caminho de volta porque a cidade tem apenas uma avenida e tudo está nela.

Além da zona hoteleira, existe também a Velha Cancun (velha só no nome), ligada à ilha por pequenas pontes. Nesta área residem cerca de 300 mil mexicanos e estrangeiros de todo mundo que fazem as coisas funcionarem para os visitantes.

Agora, os menos avisados precisam tomar cuidado com a culinária local onde o chile, espécie de pimenta mexicana, é o prato principal. No entanto, a culinária é substanciosa, variada e dá água na boca de qualquer um.

Veja só: Quesadilla: tortilla de farinha de trigo com recheio de queijo; Tostada de Frango: tortilla de milho frita com feijão, alface, frango desfiado, cebola e tomate; Enchilada: frango desfiado com queijo; Chile Poblano: espécie de pimentão passado no ovo e na farinha e frito, recheado com queijo, molho de tomate e creme de leite; Taco de Carne: pura tortilla de milho com recheio de filé mignon picado; Feijão Charro: feijão marrom com carne de porco e pimentão picado. 

Imperdível são as compras e tem milhares de opções. O grande negócio são as joias, principalmente as de prata, e artesanato inclusive de coral negro e esculturas em madeira, apesar de que a confecção destas peças tem contribuído para a destruição dos recifes de coral e desmatamento. Tapetes, ponchos, estatuetas e uma infinidade de quinquilharias maias estão à disposição do turista, mas é preciso ficar atento por nem tudo é tão autêntico assim.

O artesanato em prata é uma tradição mexicana e podem ser encontradas várias peças de qualidade variada. Os mosaicos maias em metal colorido são uma atração à parte, o mesmo acontecendo com as máscaras (o alejibre) em forma de imagens monstruosas.

Consulte o seu agente de viagens e peça o "pacote" que pode incluir uma esticadinha até Miami. Vale a pena curtir o sol da Península de Yucatán e se embriagar na História do lugar.

Colunas

Contraponto