09h : 37min

Assine o Diário e o Santista por R$8 por mês no plano atual

Emagreça naturalmente!

A modernidade e praticidade da comida industrializada pode ser uma grande inimiga para quem busca a reeducação alimentar. Prato cheio de alimento natural sacia a fome e não engorda

Comentar
Compartilhar
13 AGO 2017Por Da Reportagem17h00

Até parece título de filme, mas a maioria está “à espera de um milagre” quando o assunto é manter o corpo em forma. E esse “em forma” significa magro, flexível e rijo. Sabem, aqueles iguais das capas de revistas?
Na verdade, parece existir uma obrigatoriedade de ser magra ou magro, se analisarmos o que diz a moda e as roupas disponíveis no mercado. Cada vez mais manequins 44, 46, e os seguidos, não têm vez. Fala-se muito em inclusão, em adaptação dos tamanhos ao biotipo das brasileiras, mas geralmente os modelos considerados “fashion” são confeccionados para as magras, e magros porque os homens também não escapam disso. Quem é um pouco maior, tem que se contentar com roupas nem tão “fashion” assim, pois a “ditadura da magreza” já começa no momento da criação dos modelos.
Dessa maneira, existe uma corrida desenfreada atrás de métodos de emagrecimento, sendo que alguns prometem milagres e comprometem a saúde. É difícil encarar uma dieta diante de tantas opções e diante da correria do dia a dia, daí a saída é buscar pelos “milagres”, ou seja, perder peso rapidamente e sem muito sacrifício, quando não tem outro jeito senão fechar a boca – isto não quer dizer passar fome - e movimentar-se.
Muito se fala em táticas de emagrecimento, mas será que tudo o que se diz é eficaz?
Será que beber água morna com limão todos os dias, em jejum, emagrece? Os especialistas explicam que não, apesar de não fazer mal já que limão tem vitamina C e a água também faz bem.
A pimenta e o gengibre são os queridinhos da dieta, pois tem sido largamente dito que o organismo gasta mais calorias para digeri-los. Isso é verdade porque a pimenta e o gengibre são conhecidos como queimadores de gordura e aceleram o metabolismo, mas não se enganem porque não existem alimentos que queimam mais calorias do que fornecem ao organismo e também não dá para ingerir um prato cheio de pimenta e outro cheio de gengibre.
Outra queridinha é a dieta da proteína, ou seja, restringir os carboidratos e dar preferência ao consumo de proteínas e gorduras, ela funciona, mas os médicos alertam que é perigosa para a saúde por isso não pode ser adotada por muito tempo porque os carboidratos são importantes para o organismo. O ideal é buscar o equilíbrio na alimentação porque pode se emagrecer rapidamente, mas rapidamente também se engorda de novo, é o chamado “efeito sanfona”.
Outro mito são os alimentos “diet” ou “light”. É normal se pensar que sendo desta categoria, pode se comer à vontade. Puro engano. Eles foram feitos para quem tem alguma restrição a açucares e gorduras devido a problemas de saúde. O chocolate “diet”, por exemplo, não tem açúcar, mas tem gordura então não pode ser consumido à vontade.
Uma verdade, a água é grande aliada do emagrecimento e da boa saúde. Ela melhora o funcionamento do intestino e dos rins e assim ajuda a eliminar as toxinas do organismo; beber água ajuda a diminuir a vontade de “beliscar” guloseimas fora de hora.
Os chás podem ser incluídos no dia a dia, principalmente o chá verde que também exige um maior esforço do organismo para digeri-lo. É bom preparar uma jarra logo de manhã e consumir ao longo do dia, mas não como substituto da água.
Outra ideia que tem sido difundida é que comer carboidrato à noite não pode. É bom lembrar que o que faz engordar é a quantidade ingerida, independente da hora. Á noite, o metabolismo é mais lento, mas isso não quer dizer muita coisa; quem se movimentou durante o dia e mantém dieta equilibrada, pode alimentar-se normalmente no jantar, afinal os carboidratos são fontes de energia para o organismo. Outra crendice é deixar de jantar, ou pular refeições, na ilusão de emagrecer. O que vai acontecer é que o cérebro vai entender que o corpo precisa gastar menos energia e o metabolismo vai funcionar mais devagar, até aparecer novamente os alimentos.
Assim, o mais conveniente é adotar a reeducação alimentar, comer de 3 em 3 horas, sempre em pequenas porções, não pulando nenhuma delas.
Para quem está começando, pense na dieta um dia de cada vez. Bom, antes de tudo é bom consultar um endocrinologista para saber as suas reais condições de saúde. Siga a dieta dia a dia. Será difícil no começo, mas não encare como sacrifício. Deixe de lado as frituras, refrigerantes e os doces, substituindo-os por opções saudáveis, mesmo que você tenha que encarar diariamente o self-service  na hora do almoço. Respire fundo e comece enchendo o prato de salada. Você vai se acostumar e principalmente adorar os resultados.
Não ceda à tentação de liberar tudo no final de semana, você estará sabotando a dieta e, acredite, vai engordar tudo o que perdeu durante a semana. Não perca o foco.
E caminhe, caminhe sempre. 

Colunas

Contraponto