Promo DL

Convivendo bem com a asma

Quando as temperaturas abaixam, normalmente o ar se torna mais seco e essas são condições ideais para que as doenças respiratórias se agravem

Comentar
Compartilhar
16 JUL 2017Por Da Reportagem15h30

A asma é uma delas; trata-se de doença crônica que durante o Inverno complica muito a qualidade de vida de seus portadores. 

Vale dizer que a  saúde respiratória é envolvida em uma série de mitos e boatos, muitos deles sem qualquer fundamentação. A principal orientação, que vale para todas as questões, não apenas nesta área, mas para a saúde em geral, é que dúvidas devem ser resolvidas com um médico. Nem sempre a orientação oferecida por um profissional para um amigo ou vizinho vale para todos, portanto, é preciso ter cuidado com a automedicação. 

Um medicamento tomado sem orientação médica, a tentativa de melhorar os sintomas da asma com receitas caseiras, ou mesmo a desobediência às orientações médicas por conta própria podem trazer sérios riscos à saúde, levando à morte em casos extremos. 

Bombinha para controle da asma vicia e provoca problemas cardíacos? Não, esta preocupação equivocada é uma das principais causas de falta de tratamento adequado de pessoas com asma. Os tratamentos com medicamentos inalados são os ideais porque agem diretamente no foco da doença, podendo ser utilizados sem receio, quando há orientação médica. Há risco de efeitos colaterais, assim como ocorre com qualquer medicação, especialmente quando usadas sem orientação médica. Se usado corretamente, os efeitos colaterais são pequenos e passageiros se comparados aos riscos da asma não tratada. De qualquer forma, qualquer reação deve ser relatada ao médico, que tomará as providências necessárias.

O paciente asmático pode e deve praticar atividade física, sob orientação médica. Todo exercício aeróbico regular é muito bom para a saúde em geral. No caso de pacientes asmáticos, este tipo de exercício pode contribuir para a sua reabilitação. Qualquer problema que surja durante a prática da atividade deve ser relatado ao médico, que orientará o tratamento necessário para que seja possível continuar com a atividade sem desconforto.

A asma é um tipo específico de bronquite. Há várias outras formas diferentes de bronquite, um termo genérico para indicar inflamação nos brônquios, que se manifesta com tosse e expectoração e pode ser provocada por agentes infecciosos e irritantes. Na asma, a inflamação nos brônquios é persistente e resulta em sintomas recorrentes caracterizados por chiado e falta de ar, além da tosse. Crianças abaixo de 5 anos com sintomas persistentes ou recorrentes de falta de ar e chiado no peito podem ser portadoras de asma.

O correto é manter o tratamento conforme orientação médica, bem como as consultas regulares. Dessa forma, o paciente poderá usufruir de uma vida com muito mais qualidade, e sem sustos.

Todo aparelho de ar-condicionado, esteja ele no carro, em casa ou no escritório, deve ser higienizado e ter seu filtro trocado periodicamente. A falta de limpeza é o principal desencadeador de doenças respiratórias relacionadas a estes aparelhos. Outros problemas decorrentes são o ressecamento das mucosas do aparelho respiratório. Por este motivo, pessoas que já apresentam doenças respiratórias crônicas, como a asma e a rinite, devem evitar longa permanência em locais com ar refrigerado.

Ainda não há cura para a asma, mas com diagnóstico correto, tratamento e educação, o paciente pode obter o controle da doença, ter uma redução do risco de novas crises, o que garante uma boa qualidade de vida.

O uso correto da medicação preventiva é a chave para o controle da asma persistente. A decisão de reduzir ou suspender o medicamento deve ser tomada sempre com o aval do médico. Assim como o portador deverá obedecer o seu calendário de consultas e acompanhamento.

Colunas

Contraponto