16h : 59min

Assine o Diário e o Santista por R$8 por mês no plano atual

Cirurgia plástica como alternativa para melhorar a autoestima e o bem-estar

As intervenções estéticas têm a finalidade de promover a autoestima e o bem-estar. Só devem ser realizadas por médicos especialistas em cirurgia plástica e em hospitais bem equipados

Comentar
Compartilhar
13 AGO 2017Por Da Reportagem16h00

Fazer uma cirurgia plástica para corrigir alguma imperfeição que está “tirando o sono”, é o sonho de todos, ou de quase todos! Mas, você sabe o que fazer, o que dizer, numa primeira consulta com cirurgião plástico? Será que dá para deixar todas as decisões a cargo do profissional? Será que uma intervenção estética será capaz de acabar com todos os seus problemas de autoestima?
Quais são os riscos de uma cirurgia plástica? Como será o pós-operatório? Essas, e muitas outras dúvidas, não é?
Quando o assunto é cirurgia plástica, o Brasil é autoridade no assunto. Segundo lugar no ranking, superado apenas pelos Estados Unidos. O primeiro passo para quem precisa desse tipo de procedimento é escolher um profissional qualificado que deverá fazer parte da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.  E cabe ao médico responder em linguagem que o paciente entenda a todas as dúvidas. Por isso, o paciente tem que ser muito sincero quanto às suas expectativas e quanto às suas dúvidas. 
As respostas mais desejadas, normalmente, são sobre as possibilidades de resultados, os riscos existentes e quais são os exames pré-operatórios. Especialistas explicam que em qualquer tipo de intervenção cirúrgica pode haver algum tipo de intercorrência. Contudo, avaliação pré-operatória detalhada com exames laboratoriais e cardiológicos em ordem, estes riscos são minimizados.
O local no qual será realizado o procedimento também é um ponto questionado. Muitos pacientes acreditam que o procedimento é feito na clínica do médico, contudo, por lei, existem algumas orientações quanto ao lugar ideal para a intervenção cirúrgica, que pode ser em clínicas com infraestrutura adequada ou em hospitais bem estruturados.
Ficar atento às falsas ilusões. A cirurgia plástica não tem o poder de transformar as pessoas. O objetivo é melhorar a autoestima e o bem-estar dos pacientes. 
Importante também que o paciente informe ao cirurgião sobre todos e quaisquer medicamentos que esteja tomando regularmente, mesmo sendo vitaminas, produtos naturais e suplementos alimentares, anticoncepcionais etc. porque podem interferir no sangramento. 
As cicatrizes também preocupam. É bom entender que quando a pele é lesada, ocorre uma reação do organismo que resulta numa cicatriz. O bom cirurgião plástico saberá onde “colocar” a cicatriz escolhendo áreas discretas da pele, tais como sob os seios, depressões da face, dentro dos cabelos etc.
Quanto ao pós-operatório, o recomendado e correto é seguir as orientações do médico. Cada situação exigirá recomendações diferentes e é importante observa-las para não ocorrer nada indesejado no resultado final da intervenção.
É importante que o paciente confie plenamente na atuação do cirurgião e tenha liberdade de conversar abertamente sobre os seus anseios e suas dúvidas.

 

Colunas

Contraponto