22h : 30min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Boca limpa é sinônimo de saúde

Escovar os dentes é muito importante. E deve ser feito desde que nascemos. Ninguém desconhece o mal que pode causar o acúmulo de resíduos alimentares nos dentes, por isso a cada refeição, os dentes deveriam ser escovados. Não tem nem a desculpa que fica o

Comentar
Compartilhar
09 OUT 2016Por Da Reportagem15h00
Foto: Divulgação

Outro elemento importante é o fio dental, parte fundamental para finalizar o processo de limpeza oral iniciado pela escova de dente, eliminando eventuais detritos e bactérias que permanecem nos espaços aonde a escova não chega. É possível, entretanto, complementar ou substituir o velho fio dental, composto de fibras de nylon, que muitas vezes podem desfiar ou romper durante o manuseio, por escovas interdentais, consideradas mais eficientes na remoção de sujeiras na região chamada de proximal, ou seja, localizada entre os dentes.
Na arcada dentária humana existem locais anatômicos, com cavidades, depressões e irregularidades que até mesmo o fio ou fita dental não conseguem atingir e que só podem ser acessados pelas escovas interdentais, é isso que explicam os especialistas na área, completando que a higienização entre os dentes é tão importante que é considerada a principal diferença entre os indivíduos de países que conseguiram erradicar a cárie e dos países que permanecem com esta doença como uma verdadeira epidemia. Por isso, enquanto a higiene bucal não for uma rotina, as pessoas vão continuar com cáries e doenças gengivais. 
Os especialistas afirmam também que as escovas interdentais comuns ou genéricas têm o centro metálico muito espesso com cerdas muito curtas e duras, tornando a limpeza ineficiente e traumática. Se a escova for muito fina, não higieniza de forma adequada e, se for muito grossa, não se encaixa ou não entra no espaço entre os dentes. Em ambos os casos, pode provocar trauma e retração gengival.
Uma boa opção é a escova interdental mais firmes com filamentos ultrafinos, macios, flexíveis e com extremidades arredondadas que respeitam a região da gengiva e alcançam todos os nichos de retenção da placa bacteriana, permitindo sua remoção ou desorganização em regiões totalmente inacessíveis pelas escovas interdentais comuns.
As cerdas das novas escovas interdentais são mais longas e, consequentemente mais efetivas. Imagine uma escova para limpar mamadeiras, aquelas que têm um fio metálico central de onde saem pelos ou cerdas que executam a limpeza da parte interna da mamadeira. Os fios desta escova devem ser longos o suficiente para alcançar totalmente as paredes internas da mamadeira. Não adianta nada tentar limpá-la com uma escova com pelos curtos, pois muitas regiões não serão atingidas. Fazendo uma analogia com as escovas, é exatamente isto o que ocorre com as escovas interdentais comuns. Elas não limpam corretamente. 
Importante: Adquira uma escova interdental de boa qualidade. Consulte o seu cirurgião-dentista sobre as melhores opções, pois as escovas interdentais não são iguais. 

Colunas

Contraponto

Construtora CredLar