Pref 13 e 14

Vereadores querem informações sobre contratos firmados com Terracom

Empresa presta uma série de serviços para à cidade que vão de recolhimento de lixo a obras de infraestrutura urbana

Comentar
Compartilhar
12 AGO 2017Por Da Reportagem10h30

Na última terça-feira (8), foi aprovado por unanimidade o requerimento de autoria do vereador José Nilton Lima de Oliveira, o   Doidão (PPS), que pede ao Executivo uma série de informações acerca de custos de serviços; aditamentos; pesagens; mão de obra e outros pela empresa Terracom, que presta serviços de limpeza, varrição de ruas, recolhimento de entulhos, coleta, transbordo e destinação final de lixo, bem como obras públicas.

No documento, o vereador argumenta que a empresa em questão é uma das que mais recebe recursos do orçamento municipal, atualmente, tendo em vista os inúmeros serviços que presta. Justamente por isso, na avaliação dele, precisa ser cobrada e fiscalizada com mais ênfase por parte dos legisladores.

“Somente no ano passado, foram gastos mais de R$ 45 milhões com a Terracom, no que diz respeito apenas à coleta de lixo. Portanto, é preciso saber a quantidade de lixo que hoje está sendo recolhido; o quanto esse valor equivale por morador, de modo a esclarecer melhor à população com relação à tudo isso”, destacou Doidão. 

Apoio

O requerimento foi endossado por todos os vereadores presentes à sessão legislativa. Alguns, inclusive, fizeram questão de manifestar seu apoio, da tribuna do plenário, e falar sobre a importância da iniciativa. “Sou totalmente a favor, porque contribui para a transparência com que o atual governo tem desenvolvido suas ações. É salutar que os vereadores acompanhem mais de perto o trabalhos das concessionárias”, enfatizou o vereador e vice-líder do governo, Mário Lúcio da Conceição (PR).

Na mesma linha, os vereadores Walter dos Santos, o Nego Walter (PSB), Fernando Martins dos Santos, o Fernando Peitola (PSDB), Raphael Vitiello, também do PSDB e José Francinaldo Ferreira de Vasconcelos, o Naldo Perequê (PPS) reforçaram os argumentos apresentados, assim como o apoio à iniciativa de Doidão.

O documento agora segue para os setores competentes da Administração Municipal, que por sua vez deverão prestar os esclarecimentos solicitados em prazo previsto em lei.

Colunas

Contraponto