Santos

Prefeitura de Guarujá supera total de certificados internacionais emitidos desde 2014

Já são mais de 650 documentos emitidos somente neste ano, contra 130 confeccionados em todo o ano de 2014

Comentar
Compartilhar
12 JUL 2018Por Da Reportagem11h45
Em Guarujá, todas as Unidades Básicas (UBSs) e de Saúde da Família (Usafas) imunizam contra a febre amarela, com a dose única padrão (0,5ml)Foto: Divulgação

"As pessoas estão viajando mais e percebendo que a Cidade emite o certificado, evitando, assim, a procura pelo documento em outros municípios". A afirmação é do diretor de Vigilância em Saúde de Guarujá, Marco Antonio Chagas da Conceição, com base no aumento de interessados na emissão do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia no Município.

O documento é necessário àqueles que vão viajar para destinos considerados áreas de risco. Para se ter uma ideia, neste ano, até o momento, já são mais de 650 certificados emitidos pelo Município. Em 2014, a Cidade teve um total de 130 certificados.

No ano seguinte, esse dado chegou a 156 documentos e em 2016, a Diretoria de Vigilância Municipal emitiu 137 certificados, contra 421 no ano passado. Diante disso, o total de certificados emitidos até hoje é de 2.304.

E a partir da próxima terça-feira (17), o certificado só será emitido para requerentes que comprovarem que viajarão ou realizarão conexão em alguns dos países que exigem o certificado. Conforme a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a medida tem como principal objetivo preservar o atendimento dos cidadãos brasileiros que de fato precisam do certificado. Isso uma vez que ele é necessário apenas aos viajantes com destino internacional a países que requerem a comprovação da aplicação da vacina contra a febre amarela.

Em Guarujá, todas as Unidades Básicas (UBSs) e de Saúde da Família (Usafas) imunizam contra a febre amarela, com a dose única padrão (0,5ml), necessária para emitir o certificado. Já a fracionada (0,1ml) também é ofertada na rede municipal, mas, como serve para fins de profilaxia em território brasileiro, não permite a emissão do certificado Internacional.

O documento é confeccionado na Diretoria de Vigilância em Saúde, que fica na Avenida Leomil, 518, Centro. O horário de atendimento é das 10 às 14 horas. Para a emissão, é obrigatória a apresentação do comprovante da viagem em nome do viajante. "O certificado só pode ser emitido mediante a comprovação da compra da passagem (ou voucher) em nome do viajante para o destino e/ ou com conexão que exija o documento", explica Marco Antonio. Ele lembra também que a Anvisa possui uma lista dos países que exigem o certificado.

Chagas ressalta que só o certificado comprova a vacinação contra a doença, conforme definido no Regulamento Sanitário Internacional. A lista com os países que exigem o Certificado está disponível na internet, no site da Organização Mundial de Saúde (OMS), através do link:  http://who.int/ith/2017-ith-annex1.pdf?ua=1.

Dados

Guarujá teve uma morte confirmada em razão da doença, e até o momento não há registro de novos casos. A Secretaria de Saúde ainda possui estoque da vacina e, por isso, mantém o esquema de vacinação na Cidade, com a disponibilidade de 20 postos, entre Unidades Básicas (UBSs) e de Saúde da Família (Usafas).

 

Colunas

Contraponto