20h : 29min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

BAEP vai para Santos e ROCAM volta à segurança de Guarujá

PM garante que houve reforço no patrulhamento de 40 policiais que desempenhavam serviços internos

Comentar
Compartilhar
10 AGO 2017Por Da Reportagem10h30

O 2º Batalhão de Ações Especiais Policiais (BAEP) deixou o imóvel onde estava instalado em Guarujá, localizado à Avenida Marjory da Silva Prado, na Estrada de Pernambuco, para ocupar as dependências do 6º Batalhão de Polícia Militar do Interior (6º BPMI), na Avenida Coronel Joaquim Montenegro, 282 (Canal 6), na Aparecida, em Santos.

Por outro lado, a cidade volta a contar com o trabalho das Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (ROCAM), um pelotão exclusivo de Força Tática. Ela estava em caráter experimental desde julho de 2014, o que impedia de, em caso de distribuição organizacional, receber viaturas e motocicletas novas e reposições de força de trabalho. 

A Prefeitura renovou em junho o convênio com o Governo do Estado, que agora cede a antiga base (de uma fração do 2º BAEP) no bairro do Pernambuco para a 5ª Cia da PM, que terá melhores instalações e posicionamento geograficamente mais estratégico na sua área de atuação.

Antes, o 2º BAEP estava descentralizado em toda a região. Já a 5ª Cia da PM pertence ao 21º Batalhão de Polícia Militar do Interior (21ºBPM/I), que até então estava sediada na Rua Doutor Júlio Prestes de Albuquerque, Cidade Atlântica (Enseada). Local este responsável pelo patrulhamento e atendimento a todo lado norte do município, incluindo os bairros adjacentes à Praia da Enseada, Perequê, Pernambuco e o Rabo do Dragão, até a divisa com Bertioga.

Agora com a centralização do 2º BAEP para Santos e o remanejamento de vagas, Guarujá terá oficialmente em seu quadro de efetivo o patrulhamento da ROCAM, atuando de maneira mais dedicada, já que o policiamento tático abrangerá exclusivamente a cidade.

Secretário

Conforme explica o secretário de Defesa e Convivência Social de Guarujá, Luiz Cláudio Venâncio, o 2º BAEP originalmente foi criado para atuar como tropa regional de apoio. “A 5ª Cia assumiu o lugar que era do BAEP sendo montado o pelotão de tático móvel, que tinha sido extinto aqui. Estrategicamente está melhor localizado para a companhia de policiamento, por estar no meio de sua área territorial. Guarujá não perdeu nada, na verdade ganhou um pelotão de força tática”, destacou.

De acordo com o comandante do 21ºBPM/I, Major PM Luiz Fernando Stefani, “Guarujá passa a ter oficialmente uma atuação exclusiva do Pelotão de ROCAM como Força Tática, apenas e dedicada à comunidade guarujaense. A fração do 2º BAEP, que era sediada em Guarujá, atuava na região, agrupada com demais frações do 2º BAEP, não permitindo ações isoladas, conforme preceitua normas de tropas especiais. O imóvel disponibilizado na Praia de Pernambuco, reúne melhores condições estratégicas, geográficas e estruturais que o antigo, ocupado pela 5ª Cia PM”.

Em nota, a Polícia Miliar informa que houve uma reestruturação nas companhias do BAEP, que atuam na Baixada Santista, para aumentar a capacidade operacional no combate à criminalidade. Os serviços administrativos, que eram distribuídos por quatro unidades, foram centralizados em Santos. Com isso, houve o reforço no patrulhamento nas ruas de 40 policiais que desempenhavam serviços internos. Cinco viaturas também foram liberadas para as operações do Batalhão. As ações do BAEP nas cidades citadas continuarão sendo executadas normalmente.

Colunas

Contraponto