Entrada da Cidade

Sereias da Vila encaram Huila hoje (02), às 21h30, pela final da Libertadores Feminina

Com quatro vitórias e 16 gols marcados até o momento, o Peixe chega na grande decisão com 100% de aproveitamento. O adversário colombiano, por sua vez, alcançou a final após passar pelo Iranduba, time ‘dono da casa’.

Comentar
Compartilhar
02 DEZ 2018Por Da Reportagem09h53
As Sereias da Vila entram em campo na disputa pela taça contra o Atlético Huila (COL)Foto: Divulgação/Santos F.C.

*Por Vitor Anjos/Santos F.C.

Após oito anos de espera, o Santos FC está de volta à final da Conmebol Libertadores Feminina. Neste domingo (2), às 21h30 (de Brasília) e 19h30 (horário de Manaus), as Sereias da Vila entram em campo na disputa pela taça contra o Atlético Huila (COL), na Arena da Amazônia.

Com quatro vitórias e 16 gols marcados até o momento, o Peixe chega na grande decisão com 100% de aproveitamento. O adversário colombiano, por sua vez, alcançou a final após passar pelo Iranduba, time ‘dono da casa’.

“Coincidentemente, o Huila ficou no mesmo hotel que nós durante a competição e criamos um respeito pela equipe. Porém, agora é final e as amizades feitas ficam de lado. Já estudamos bastante elas desde o começo do torneio. É um time bem organizada e chegou com muitos méritos”, afirmou a técnica Emily Lima.

Apesar do respeito pelas colombianas, a comandante acredita que as Sereias da Vila estão preparadas para sair de campo neste domingo com a taça da Libertadores Feminina nas mãos.

“A cada jogo estamos mostrando o quão forte é o Santos FC. Estou valorizando bastante o trabalho feito desde o início do ano, com planejamento. Sinto que a nossa equipe está muito madura atualmente e pronta para encarar todas as adversidades, como aconteceu na semifinal diante do Colo-Colo“, concluiu Emily.

Caso vença o Huila, as Sereias da Vila conquistarão o torneio continental pela terceira vez e irão igualar o São José, maior campeão do torneio até o momento.

O primeiro título veio em 2009, quando o Peixe, que contava com o brilho de Marta e Cristiane, goleou o Universidad Autónoma (PAR) por 9 a 0, em final disputada na Vila Belmiro.

No ano seguinte, Maurine marcou de falta no fim em vitória por 1 a 0 sobre o Everton (CHI), na Arena Barueri, garantindo o bicampeonato da Liberta para o Santos FC.

Colunas

Contraponto