Pref 13 e 14

Nicholas Santos confirma favoritismo e vence nos 50m borboleta do José Finkel

Além da medalha de Nicholas, a Unisanta conquistou mais dois ouros, uma prata e um bronze (cinco pódios), nesta sexta-feira (11)

Comentar
Compartilhar
12 AGO 2017Por Da Reportagem18h30
Nicholas Santos confirma favoritismo e vence nos 50m borboleta do José FinkelFoto: Ivan Storti

Após fazer história em Budapest como o mais velho medalhista mundial de natação (37 anos), Nicholas Santos, da Unisanta, venceu a prova dos 50m borboleta, na noite desta sexta-feira (11), no Campeonato Brasileiro Absoluto de Natação – Troféu José Finkel 2017. As disputas acontecem no Parque Aquático da Universidade Santa Cecília, em Santos, com encerramento neste sábado (12), sendo as eliminatórias pela manhã e finais à noite.

Único a nadar abaixo dos 23s nos 50m borboleta nessa edição do Finkel, Nicholas, que é o atual vice-campeão mundial da prova, ficou muito satisfeito com o resultado e alcançou seu objetivo, com a marca de 22s97.

"Apesar dessa maratona de provas, todo dia nadando (pelo Finkel já competiu nos 100m borboleta, 100m livre e revezamento), conquistei meu objetivo que era ganhar essa prova.  Agora é me preparar para os 50m livre, que será neste sábado", concluiu.

A prata ficou, com Henrique de Souza Martins, do Minas Tênis (23s58) e o bronze com o campeão olímpico Cesar Cielo, do Pinheiros (23s78).

Domínio no nado costas - A Unisanta também dominou as provas dos 200m costas, com medalhas de ouro no feminino e masculino. Joanna Maranhão mostrou mais uma vez que está em ótima fase, aos 30 anos, e levou a melhor com o tempo de 2m12s72. Gabriela Albuquerque, do Corinthians, ficou com a segunda colocação (2m16s47) e Bruna Veronez Primati, do Pinheiros, com a terceira (2m17s83).

Recordista sul-americana dos 200m costas, Joanna comentou sobre a prova. “Eu queria estar nadando na casa do 2m12s ou talvez um pouco abaixo disso, mas chega esse momento da competição, o corpo já sente. Eu tenho uma carga difícil de provas, que são de 200 metros pra cima, mas dei meu 100% e estou feliz em nadar nesse tempo.

Em relação ao seu excelente desempenho, Joanna comentou: “Eu amo o que faço. É muito bom quando você consegue acordar todos os dias para fazer o que mais ama e ainda receber por isso”.  

A participação dela nos 800m livre neste sábado (último dia da competição) não está definida devido a uma pequena lesão no peitoral direito.   

No masculino a prova foi de Léo de Deus. O atleta da Unisanta garantiu o ouro para a equipe anfitriã, com a marca de 1m58s60, confirmado o favoritismo. Nathan Bighetti, do Minas Tênis, ficou com a prata (1m59s40) e Guilherme Guido, do Pinheiros, com o bronze (2m01s39).

“Considero um tempo bom, porque já estou me sentindo muito cansado (há duas semanas o atleta participou do Mundial em Budapest e, no Finkel, Léo vem nadando todos os dias). Consegui trazer a vitória para a Unisanta nas minhas principais provas. Nadei muito bem na quinta-feira (venceu nos 200m borboleta), e agora também fui bem, apesar do cansaço da competição”.

Na próxima semana Léo já participa da Universíades, em Taiwan, integrando a equipe brasileira que terá também outros atletas da Unisanta. Somente depois disso (uma semana e meia de competição), vai descansar um pouco.

Revezamentos - A Unisanta também subiu ao pódio nos dois revezamentos da noite. No 4x100m livre feminino, foi prata, com Alessandra Marchioro, Gabrielle Roncatto, Carolina Bilich e Joanna Maranhão (3m47s59). O ouro ficou com o Sesi-SP (3m45s25) e o bronze para o Minas (3m49s54).

Já nos 4x100m livre masculino, a equipe ceciliana foi bronze com André Luiz Souza, Matheus  Santana, Felipe Ribeiro Souza e Thiago Teixeira Simon (3m20s43). Os primeiros lugares ficaram com Pinheiros (3m19s58) e Minas (3m19s63), respectivamente.

 

 

Colunas

Contraponto