Santos

Multa esfria negociação do Palmeiras com Ricardo Goulart

A multa rescisória do atleta é de 30 milhões de euros, o que significa quase R$ 120 milhões

Comentar
Compartilhar
27 DEZ 2017Por Folhapress21h30
Goulart tem contrato com o Guangzhou Evergrande até 2020Foto: Reprodução

O Palmeiras mantém conversas regulares com Ricardo Goulart e gosta de se colocar como "destino natural" do jogador caso ele opte por voltar ao Brasil. O problema, no entanto, é que esse sonho é algo impossível de se alcançar caso os chineses não liberem o atacante.

A multa rescisória do atleta é de 30 milhões de euros, o que significa quase R$ 120 milhões. Não há a menor hipótese, nem mesmo com a ajuda da Crefisa, de que esse valor seja pago. A única chance seria se o jogador conseguir a rescisão amigável, uma vez que o empréstimo também é difícil.

Goulart tem contrato com o Guangzhou Evergrande até 2020 e, inicialmente, pretendia atuar em algum clube da Europa. Sem receber propostas que o agradassem, ele passou a considerar o retorno ao Brasil.

Recentemente, inclusive, seu irmão deu entrevista ao Globoesporte.com afirmando que o projeto de voltar tem a ver com um desejo de retorno à seleção.

O aviso foi dado diretamente ao diretor de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos. Os dois são amigos desde os tempos em que trabalharam juntos no Cruzeiro, e o dirigente abriu as portas da Academia de Futebol, mas explicou que seria inviável fazer uma proposta de compra.

Além de Goulart, os paulistas sonhavam com Rafinha, do Bayern de Munique. O lateral direito não conseguiu a liberação no clube alemão e avisou que ficaria ao menos até a metade do ano na Europa. O aviso fez o Palmeiras encaminhar acordo com Marcos Rocha.

Colunas

Contraponto