21h : 05min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Judoca de São Vicente supera falta de apoio e fatura título internacional

Sem auxílio financeiro da Prefeitura, Kaillany recorreu à campanha nas redes sociais para conquistar torneio Pan-Americano, na República Dominicana

Comentar
Compartilhar
23 NOV 2016Por Alyson Gonçalo11h02
Kayllany Valentim venceu o Pan-Americano de judôFoto: Rodrigo Montaldi/DL

A judoca Kayllany Valentim, de São Vicente, travou uma batalha fora dos tatames nos últimos dias para representar o seu município fora do Brasil. Sem apoio da Prefeitura, a família da atleta não tinha condição de bancar as despesas para a disputa do Pan-Americano de judô, realizado na República Dominicana, nos dias 11 e 12 de novembro, e se viu obrigada a pedir doações.

Grande revelação do judô nacional, ela foi campeã brasileira sub-13, na Bahia, no dia 20 de outubro, e garantiu vaga para o torneio internacional. A partir daí, então, a família da atleta deu início a uma força tarefa nas redes sociais para arrecadar dinheiro. Ela obteve mais de 1.000 doações e, através do apoio, faturou a tão sonhada medalha de ouro.

A quantia arrecadada (cerca de R$ 15 mil) serviu para cobrir a inscrição, hospedagem na cidade, além de passagem e alimentação. Emocionada, a mãe da atleta, Mônica Valentim, agradeceu todos aqueles que contribuíram para a participação da sua filha no maior torneio da modalidade na América Latina, e ainda lembrou a falta de apoio da atual gestão.

“Em 2015, fui à Prefeitura e pedi apoio para a participação da minha filha nos campeonatos. Ela levaria o nome da cidade para outros lugares. Mas não ajudaram. Neste ano não recorremos à atual gestão, pois já sabíamos o que eles diriam. A resposta seria não, como de costume. Resolvi, então, compartilhar nas redes sociais o sonho da minha filha”, disse Mônica.

A campanha no Facebook contou com apoio de políticos da região e atletas do Santos Futebol Clube. Candidato eleito de São Vicente, Pedro Gouveia (PMDB), contribuiu com uma parte do valor arrecadado, assim como Alexandre Rodrigues (PSB). O candidato Kayo Amado, da Rede, auxiliou com a divulgação. O zagueiro David Braz também fez parte da corrente de apoio.

“Acho que nunca terei como agradecer a cada uma das 1.036 pessoas que nos ajudaram. Ainda tiveram pessoas que não auxiliaram com dinheiro, mas nos incentivaram com palavras. Vejo tantas crianças passando por dificuldades parecidas e apelam para doações nos semáforos. É necessária uma maior atenção a esses talentos da região”, completou.

Apoio do Sensei. Treinador e Sensei de Kaillany, Marcos de Paiva Mercadante, é peça fundamental nas recentes conquistas. Ele começou a trabalhar com a atleta há seis anos e de lá pra cá tem participado diretamente na sua formação. Empolgado, ele prevê um futuro de muito sucesso à ­ judoca, que, segundo ele, é uma das grandes promessas do município na modalidade.

“Agora é o momento de bater na porta e pedir apoio. Fecharam a porta na nossa cara, mas agora podemos tentar novamente. Ela tem um currículo na mão. A vida de um atleta amador é complicada, mas vejo nela um grande talento. A ideia é seguir com um trabalho de conscientização para, quem sabe, dar início a um ciclo olímpico no futuro” disse o Sensei, que comanda a Academia Adrearma e comanda a educação esportiva no colégio Célula Mater.

Inspirações

Faixa verde, Kaillany coleciona outros títulos importantes na carreira, como o tricampeonato da Copa São Paulo e o penta paulista. A inspiração, segundo ela, vem das judocas Sarah Menezes e Rafaela Silva, campeãs olímpicas no judô feminino.

“Busco inspiração no jeito delas lutarem e me identifico com suas histórias. Assim como eu, elas começaram cedo no esporte e enfrentaram dificuldades. Espero também chegar aos Jogos Olímpicos”, disse.

Colunas

Contraponto

Construtora CredLar