12h : 23min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Egídio bateu pênalti após recusa de outros por falta de confiança, diz Cuca

Logo após o jogo acabar, a torcida passou a xingar o jogador. Os líderes do elenco se aproximaram da organizada e pediram para que a hostilidade fosse encerrada

Comentar
Compartilhar
10 AGO 2017Por Folhapress13h30
Cuca admitiu que o lateral sempre esteve pressionado, mas explicou que a escolha foi feita por causa da falta de confiança de outros atletasFoto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Muito xingado pela torcida antes mesmo de desperdiçar o pênalti que decretou a eliminação do Palmeiras na Libertadores, contra o Barcelona-EQU, Egídio foi o centro das críticas na noite desta quarta-feira (9) no Allianz Parque. Cuca admitiu que o lateral sempre esteve pressionado, mas explicou que a escolha foi feita por causa da falta de confiança de outros atletas.

Logo após o jogo acabar, a torcida passou a xingar o jogador. Os líderes do elenco se aproximaram da organizada e pediram para que a hostilidade fosse encerrada. Não adiantou.

"Ele não foi colocado entre os primeiros para bater. E temos que respeitar a natureza dos fatos. Tínhamos jogadores que não estavam confiantes para bater. E isso acontece. Você chega no jogador e ele fala que está sem confiança. Tem que respeitar. E dentro disso o Egídio foi o sexto a bater", explicou.

Logo depois, o técnico repetiu o discurso que tem adotado nos últimos dias antes de enfrentar o Barcelona-EQU. Ele praticamente entrou em campanha pedindo respeito e apoio ao lateral esquerdo.

"Do Egídio estou cansado de falar que ele é o melhor lateral que temos. O pessoal pega no pé dele. Às vezes dá um motivo ou outro, mas ele é um menino bom, com personalidade. Ele fez um bom jogo. Acontece. Foi lá e bateu o pênalti e errou", completou.

Colunas

Contraponto