07h : 29min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Desfalcado, Palmeiras encara jejum de 20 anos contra o Coritiba

Desfalcada, a equipe dirigida pelo técnico Cuca tentará vencer o time da casa jogando no Estádio Couto Pereira pela primeira vez nos últimos 20 anos

Comentar
Compartilhar
07 JUN 2017Por Gazeta Press16h30
Na tentativa de findar o incômodo jejum, Cuca tem uma série de desfalquesFoto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Às 19h30 (de Brasília) desta quarta-feira, pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras encara o Coritiba. Desfalcada, a equipe dirigida pelo técnico Cuca tentará vencer o time da casa jogando no Estádio Couto Pereira pela primeira vez nos últimos 20 anos.

Na edição de 1997 da Copa do Brasil, o Palmeiras bateu o Coritiba por 1 a 0 em pleno Couto Pereira. Desde então, apesar do vice-campeonato da Copa do Brasil 2012, o time paranaense está invicto diante do adversário paulista dentro de casa, com um retrospecto de oito vitórias e seis empates no período.

Na tentativa de findar o incômodo jejum, Cuca tem uma série de desfalques. O lateral direito Jean, o zagueiro Edu Dracena e o meia Guerra serão poupados. O zagueiro Mina e o centroavante Borja foram convocados pela seleção colombiana, enquanto Dudu está lesionado.

Em relação ao empate contra o Atlético-MG, as novidades devem ser os zagueiros Juninho e Antônio Carlos. O recém-chegado Luan foi relacionado e pode estrear. No meio, Raphael Veiga, Michel Bastos e Hyoran estão entre as principais alternativas do técnico Cuca, há três rodadas sem vencer no Campeonato Brasileiro.

“O Palmeiras tem um grupo muito forte. Quando sai alguém, quem entra tem que dar o melhor. O Cuca vem falando que os três que entram precisam mudar o jogo. Tenho certeza que os meninos que jogarem contra o Coritiba vão dar o melhor para a gente sair vitorioso”, afirmou Keno, substituto de Dudu.

Com seu melhor início de campanha desde que foram instituídos os pontos corridos no Brasileiro, o Coxa tem empolgado o torcedor que desta vez, acredita que o time não brigará contra o rebaixamento e sim por algo mais na competição. O técnico Pachequinho, que assumiu o time durante a campanha do Estadual como interino e foi efetivado após a conquista do título, deu forma a sua equipe e tem mantido o esquema dentro e fora de casa.

A boa fase passa também por mexer o menos possível na escalação, exceto, é claro, que se faz necessário por lesão ou contusão. Desta vez são duas dúvidas, o lateral-direito Dodô e o atacante Neto Berola, que sentiram dores após o Atletiba do final de semana. Para a direita, Léo e Rodrigo Ramos são as opções. No ataque, Rildo é o favorito, mas Getterson e Iago estão à disposição.

O treinador coxa-branca, entretanto, se mostra tranquilo em relação a possíveis mudanças e vai escolher quem estiver melhor para encarar mais um jogo duro. “O grupo é qualificado. Independente de quem entra e quem sai, temos a reposição à altura. É mais uma decisão, mais um jogo difícil, um adversário que tem uma qualidade técnica grande. É recuperar bem os atletas e ver aquilo que eu penso de ideal para a equipe”, avaliou.

Colunas

Contraponto