02h : 00min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Denis foi reserva 298 vezes, mas Sidão deve ser titular da nova Era Ceni

Nesse ano, Denis viu seu plano de carreira ter sentido e assumiu o posto de titular

Comentar
Compartilhar
25 NOV 2016Por Gazeta Press15h30
Denis foi reserva de Rogério Ceni por sete anos e logo em seu primeiro ano como titular já perdeu a vaga no golFoto: Fernando Dantas/Gazeta Press

Denis teve de ter muita paciência e perseverança para esperar seu momento no São Paulo. Ciente de que jamais tomaria o lugar de Rogério Ceni no clube, o goleiro passou sete anos se dedicando nos treinamentos mesmo que para poucas oportunidades. Ao todo, até dezembro do ano passado, quando Ceni decidiu se aposentar, foram 298 jogos na reserva, sem ser utilizado, e apenas 92 partidas como titular nesse período. Em 2010, Denis não entrou em campo nenhuma vez. Agora, Rogério Ceni está de volta, mas, como técnico. E apesar de toda essa longa relação, Denis deve voltar ao banco dos suplentes para Sidão se tornar o guarda-meta do Tricolor na nova ‘Era Ceni’.

Nesse ano, Denis viu seu plano de carreira ter sentido e assumiu o posto de titular. Foram 66 partidas defendendo o São Paulo. O problema é que o jogador de 29 anos sofreu com a pressão de ter de substituir um dos maiores ídolos da história do clube e caiu em descrédito por causa de algumas falhas. No segundo semestre, Denis até conseguiu recuperar parte de seu prestígio, mas bastaram mais alguns erros nessa reta final do Campeonato Brasileiro para a diretoria são-paulina perder a paciência de vez.

Nesta quinta, Pintado, membro da comissão técnica fixa do clube e que comandará o time interinamente nos dois últimos compromissos do ano, confirmou que Denis só voltará a ter oportunidade em 2017, caso Rogério Ceni assim queira, e Renan Ribeiro irá a campo por determinação da diretoria de futebol do São Paulo diante de Atlético-MG e Santa Cruz.

Para tornar a situação ainda mais complicada para Denis, o goleiro Sidão, que pertence ao Audax e está disputando o Campeonato Brasileiro pelo Botafogo, já tem um acordo verbal para acertar sua chegada. E, coincidência ou não, o contrato do goleiro de 33 anos tem a mesma duração do vínculo assinado por Ceni nesta quinta: Dois anos.

Sidão chegará já com o aval do agora técnico Rogério Ceni e tem o fato de jogar bem com os pés, assim como seu provável futuro treinador fazia, como diferencial. Denis também sempre soube trabalhar com pés, inclusive pleiteava se tornar cobrador de faltas e seguir os passos de seu antecessor, mas a irregularidade na hora de defender o gol atrapalhou e acabou por frustrar seus planos.

O atual contrato de Denis com o São Paulo expira em dezembro do ano que vem e não será surpresa o goleiro pedir para ser negociado ou até mesmo emprestado em busca de espaço para jogar. Renan Ribeiro, de 26 anos, ainda tem vínculo com o Tricolor até maio de 2018. E Léo, hoje terceira opção, deve ser liberado nesse fim do ano, quando encerra seu contrato.

Acordo por Sidão é livre
Em contato telefônico, Nei Teixeira, diretor de futebol do Osasco Audax, clube detentor dos direitos econômicos de Sidão até o fim do Campeonato Paulista de 2017, explicou que é apenas questão de tempo a confirmação do negócio com o São Paulo e ainda esclareceu que todas as condições para o acerto estão abertas justamente para que o risco da transação fracassar seja quase zero.

“Nós estamos em Recife para um jogo importante (O Oeste, que tem parceria com o Audax, briga para não ser rebaixado à Série C nesta última rodada do Brasileirão da Série B) e o Sidão também está focado no Botafogo. Mas, já existe um acordo de cavalheiros e o mais importante é atender a vontade do jogador, que quer jogar no São Paulo”, disse Nei, minimizando até mesmo a forma como o clube de Osasco será recompensando por isso. A princípio, o Tricolor pagaria R$ 500 mil em dinheiro e cederia três atletas por empréstimo.

“Nós estamos conversando, as conversas estão evoluindo. Mas não está determinado que o negócio tem que ser assim. Podemos abrir mão do dinheiro e pegar mais jogadores do São Paulo, ou então podem vir dois, um e o resto ser pago. Ou pode vir um agora e outros para outro momento, já que teremos a Copa do Brasil no segundo semestre. Vamos avaliar uma lista de opções e ver o que é melhor. Acredito que na próxima semana já esteja tudo certo”, garantiu o dirigente do Audax.

Colunas

Contraponto

Construtora CredLar