02h : 01min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Corinthians conta com pênalti polêmico e afunda o Inter em Itaquera

Com o resultado, o Timão chega aos 54 pontos conquistados e volta a vencer após mais de um mês de jejum no torneio

Comentar
Compartilhar
21 NOV 2016Por Gazeta Press22h36
Marlone foi o autor do gol e melhor em campo pelo lado do TimãoFoto: Marco Galvão/Futura Press/Estadão Conteúdo

O Corinthians fez o que o seu torcedor esperava na noite desta segunda-feira, praticamente alheio a qualquer disputa na parte de cima da tabela. Mostrando um bom futebol durante toda a partida e se aproveitando da péssima fase dos gaúchos, o Timão dominou o rival durante toda a partida, mas precisou da ajuda do árbitro Rodolpho Toski Marques para anotar seu único gol, com Marlone, cobrando pênalti inexistente marcado sobre Romero.

Com o resultado, o Timão chega aos 54 pontos conquistados e volta a vencer após mais de um mês de jejum no torneio. A última vitória havia sido justamente contra o América-MG, outro time que luta contra o rebaixamento. O time está agora a um ponto de Atlético-PR e Botafogo, quinto e sexto colocados, respectivamente, dependendo apenas de si para ir à Libertadores do ano que vem.

O Inter, por sua vez, amarga mais um revés e vê cada vez mais perto a Série B do Campeonato Brasileiro. Com apenas 39 pontos conquistados, o time está três atrás do Vitória, o primeiro time fora da degola, mas tem um saldo de gols muito pior (-7 a -2). Com isso, teria de tirar a diferença de pontos e de saldo nos jogos que lhe restam.

Na próxima rodada, os comandados de Oswaldo de Oliveira têm um confronto direto na busca por uma vaga no G6 da competição, contra o Atlético-PR, no sábado, às 21h (de Brasília), no estádio de Itaquera. Já os colorados seguem na sua luta contra o rebaixamento, dessa vez frente ao Cruzeiro, no domingo, às 17h (de Brasília), no Beira-Rio.

Corinthians pressiona, Inter se segura

Mesmo não atravessando a sua melhor fase tecnicamente, o Corinthians conseguiu se impor sobre o Internacional nos primeiros 45 minutos de bola rolando, principalmente quando colocou a bola nochão e apostou nas triangulações pelo lado do campo. Demonstrando uma disposição característica de jogos decisivos, Marquinhos Gabriel e Marlone comandaram os ataques e criaram pelo menos duas chances claras de gol.

Na primeira delas, aos 11 minutos de bola rolando, Marlone veio para a direita e iniciou troca de passes com Camacho e Fagner. O volante recebeu dentro da área e acionou o lateral, que devolveu de primeira, deixando o companheiro na cara do gol. O meio-campista dominou a redonda e tentou tocar de bico, já quase na pequena área, mas o goleiro Danilo Fernandes saiu bem do gol, fez a defesa e ainda viu a bola rebater no adversário antes de sair.

A pressão alvinegra diminuiu com o passar do tempo e os gaúchos quase conseguiram um tento em lance de sorte, aos 19 minutos. Após cobrança de falta de Anderson, a zaga afastou e Vitinho, da lateral esquerda, tentou o cruzamento. A bola desviou em Marlone, quicou na frente de Walter e saiu rente à trave esquerda do goleiro corintiano, que ficou no meio do caminho quase cometendo uma falha feia.

Já sem tanta facilidade para sair jogando, o Timão só conseguiu criar uma outra oportunidade aos 33 minutos, novamente em brilho individual dos seus meias. Marlone deu um “rolinho” em Rodrigo Dourado pela esquerda e acionou Marquinhos Gabriel. O camisa 31 segurou a bola até a passagem de Fagner, rolando para o lateral, que bateu de primeira para dentro da área. Lá, Marlone, também de primeira, tentou o chute, mas mandou por cima do gol a chance de abrir o placar antes do intervalo.

Pênalti polêmico dá vitória ao Timão

A posse de bola do Alvinegro continuou a dar o tom da partida na etapa final, mas o gol só conseguiu sair quando o juiz Rodolpho Toski Marques deu uma força para o ataque. Após cruzamento na área, Romero subiu junto com Ernando e, antes da bola chegar, abriu os braços reclamando de um empurrão. O árbitro foi na dele e apontou a marca da cal, impressionantemente sem qualquer reclamação dos presentes.

Mesmo com a animação pela marcação, a torcida manteve a ansiedade até Marlone chamar a responsabilidade pela cobrança, já que Giovanni Augusto, suspenso, havia sido o último corintiano a converter uma cobrança dali. Animado pela indicação de seu nome ao Prêmio Puskas, devido ao tento anotado contra o Cobresal, na Libertadores, o atacante chutou forte, rasteiro, no canto esquerdo de Danilo Fernandes, que não alcançou.

Depois do gol, o Timão teve tudo para “matar” o jogo e definir a vitória. Marlone manteve a inspiração pela esquerda, sempre levando vantagem sobre William e Anselmo. Dez minutos após o gol, cortou para dentro e bateu colocado, carimbando a trave esquerda de Danilo. Na sequência, em falta sofrida por ele, Uendel levantou na segunda trave e Vilson, livre de marcação, conseguiu cabecear por cima.

O Inter se mandou todo para frente na busca pelo gol que ao menos lhe daria um ponto em São Paulo, mas chamava mais atenção a desorganização dos visitantes do que o brio em busca do gol. Até o final da partida, o lance mais perigoso foi do Timão, quando Léo Jabá exigiu boa defesa de Danilo Fernandes e, no rebote, Marquinhos Gabriel pegou de primeira e parou em outro milagre do arqueiro.

Colunas

Contraponto

Construtora CredLar