15h : 43min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Carille explica a evolução no ataque do Corinthians e cita entrosamento

No turno inicial do Brasileirão, o Corinthians marcou 32 gols e só ficou atrás do Grêmio, com 35

Comentar
Compartilhar
09 AGO 2017Por Folhapress13h30
A condição de segundo melhor ataque da competição traz à tona a evolução ofensiva do time do técnico Fábio CarilleFoto: Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

O Corinthians é dono de uma campanha histórica no Campeonato Brasileiro e obteve marcas impressionantes por meio de solidez defensiva e efetividade no ataque. A condição de segundo melhor ataque da competição traz à tona a evolução ofensiva do time do técnico Fábio Carille.

No turno inicial do Brasileirão, o Corinthians marcou 32 gols e só ficou atrás do Grêmio, com 35. O time alvinegro, porém, mostrou-se bem efetivo no ataque, num cenário bem distinto dos primeiros jogos da temporada.

Em meados de março, por exemplo, ainda nas primeiras semanas do trabalho comandado por Carille, o Corinthians enfrentava dificuldades para transformar as chances em gols. À época, a equipe precisava de quase 13 finalizações para marcar um gol, o dobro dos rivais Palmeiras, Santos e São Paulo.

Cinco meses depois, o cenário é oposto. O Corinthians do Campeonato Brasileiro aumentou a efetividade ao marcar um gol a cada 6,6 conclusões ao gol. O São Paulo, por sua vez, necessita de 11,4 chutes, contra 8,4 de Palmeiras e Santos. Já o Grêmio apresenta números similares aos do líder, com um gol a cada 6,4 finalizações.

Para o técnico Fábio Carille, a evolução corintiana passa, sobretudo, pelo entrosamento dos setores de meio-campo e ataque, obtido ao longo dos 47 jogos disputados na temporada 2017.

"É esperar a oportunidade certa, não chutar de qualquer jeito, porque qualidade a gente tem. A questão do tempo é fundamental para uma engrenagem funcionar", disse o treinador alvinegro à reportagem.

Desde as primeiras semanas à frente do Corinthians, Carille sempre frisou que o primeiro estágio do trabalho estava ligado à melhora defensiva, característica que o Corinthians mantém fortalecida com apenas nove gols sofridos em 19 jogos do Brasileirão.

No ataque, a efetividade é observada com mais nitidez em algumas partidas específicas. No clássico com o Palmeiras, o Corinthians concluiu três vezes e conseguiu marcar dois gols. Diante do Vasco, foram cinco gols em dez tentativas. Na última rodada, a equipe venceu o Sport por 3 a 1 após concluir oito vezes.

"É questão de criar oportunidades mais claras. Acontece que, com a equipe cada vez mais entrosada, e sempre deixei claro que a parte ofensiva levaria mais tempo e exige entrosamento, tempo, um conhecer mais o outro, a gente chega com chances mais claras", explicou Carille.

Um dos números que manifestam essa paciência do Corinthians e evolução da criatividade é o número de cruzamentos. Segundo o Footstats, o time de Carille é o segundo que menos alça bolas na área em todo o Campeonato Brasileiro. O dado é consequência de uma tomada de decisão mais assertiva com a bola, em que as bolas só saem dos lados do campo, normalmente, quando há a possibilidade de criar mesmo perigo para o adversário.

O Corinthians é líder do Brasileirão com 47 pontos conquistados, oito a mais que o Grêmio, segundo colocado. O time paulista só volta a campo no próximo dia 19, para enfrentar o Vitória em Itaquera, pela segunda rodada do returno -a partida contra a Chapecoense, que seria disputada no próximo fim de semana em Santa Catarina, foi adiada para o dia 23.

Colunas

Contraponto