22h : 29min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Brasil mira liderança das Eliminatórias contra Venezuela

Como a Celeste Uruguai tem um jogo complicado, fora de casa, contra a Colômbia, o Brasil tem grandes chances de virar líder em caso de triunfo

Comentar
Compartilhar
11 OUT 2016Por Gazeta Press12h00
Seleção Brasileira fez seu último treinamento em NatalFoto: Pedro Martins/MoWa Press

Tendo vencido os três últimos compromissos, a Seleção Brasileira chega embalada para enfrentar a Venezuela nesta terça-feira, às 21h30 (de Brasília), no Estádio Metropolitano de Mérida, pela décima rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018, que será disputada na Rússia. O Brasil, que vem de um 3 a 0 aplicado no Equador, 2 a 1 na Colômbia e a recente goleada de 5 a 0 sobre a Bolívia, aparece na segunda posição com 18 pontos, apenas um a menos que o Uruguai.

Como a Celeste Uruguai tem um jogo complicado, fora de casa, contra a Colômbia, o Brasil tem grandes chances de virar líder em caso de triunfo. O fato, porém, não é tratado como fundamental.

“Nós estamos preocupados em ganhar o nosso jogo e se fizermos os nossos resultados, a classificação para a Copa do Mundo, que é a prioridade, será conquistada. Não temos que nos preocupar com a liderança, pois neste tipo de torneio ela significa muito pouco”, avisou o goleiro Alisson.

A Venezuela não é um adversário que chegue a tirar o sono. Isso porque, além de vir de uma derrota de 3 a 0 para o Uruguai, segura a lanterna com dois pontos e ainda não conseguiu ganhar na competição. Isso porém, não anima o técnico da Seleção Brasileira, Tite.

“A Seleção Brasileira encara todos os adversários com a mesma seriedade, pois aprendi nesse tempo todo de futebol que dentro das quatro linhas tudo pode acontecer. Já vi time favorito perder jogo que ninguém esperava e, por isso mesmo, não podemos comemorar a posição da Venezuela na tabela de classificação. Por estarem na lanterna, estarão mais empenhados em nos vencer e tornarão o jogo mais complicado. Precisamos nos impor”, avisou o treinador do Brasil.

Para este jogo, Tite vai promover duas mudanças na Seleção Brasileira. A primeira forçada pela suspensão do atacante Neymar, por acúmulo de cartões amarelos. O meia Willian entra no time, com Gabriel Jesus jogando como referência no ataque. A outra alteração será a saída de Giuliano para a volta do volante Paulinho, que estava suspenso na goleada sobre a Bolívia.

Pelo lado da Venezuela, o técnico Rafael Dudamel pediu para seus comandados um futebol de mais marcação em relação ao jogo contra o Uruguai.

“Contra um rival de talentos individiuais como é o Uruguai não poderíamos ceder um centímetro de espaço e isso não pode se repetir contra a Seleção Brasileira. Vamos respeitar demais o nosso rival, porém, temos que ganhar. A ordem é estar equilibrado no sistema defensivo para conseguir um triunfo”, disse Dudamel.

Em termos de escalação, Dudamel faz mistério e diz que vai olhar no rosto dos jogadores e decidir pelos que parecerem ter assimilado melhor a derrota para o Uruguai. Porém, duas mudanças serão forçadas por conta de desfalques. O lateral-direito Alexander González está suspenso por acúmulo de cartões amarelos, enquanto o zagueiro Oswaldo Vizcarrondo cumpre suspensão por ter sido expulso contra o Uruguai. Assim, Roberto Rosales assume a lateral, e José Manuel Velázquez ganha nova oportunidade na zaga.

Pelo regulamento, os quatro primeiros colocados ao fim das Eliminatórias estão assegurados na Copa do Mundo, enquanto que a seleção que terminar na quinta posição terá uma chance extra, na repescagem, quando vai enfrentar o campeão da Oceania em dois jogos, no melhor estilo mata-mata.

FICHA TÉCNICA
VENEZUELA X BRASIL

Local: Estádio Metropolitano de Mérida, em Mérida (Venezuela)
Data: 11 de outubro de 2016 (Terça-feira)
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Víctor Carrillo (Peru)
Assistentes: Jonny Bossio (Peru) e Raúl Cruz (Peru)

VENEZUELA: Daniel Hernández, Roberto Rosales, Wilker Ángel, José Manuel Velázquez e Mikel Villanueva; Tomás Rincón, Arquímedes Figuera, Adalberto Peñaranda, Juan Pablo Añor e Alejandro Guerra; Salomón Rondón
Técnico: Rafael Dudame

BRASIL: Alisson, Daniel Alves, Marquinhos, Miranda e Filipe Luis; Fernandinho, Paulinho, Renato Augusto, Willian e Philippe Coutinho; Gabriel Jesus
Técnico: Tite

Colunas

Contraponto

Construtora CredLar