Santos

Apostando em Borja, Palmeiras analisa chance a Guerra como "falso 9"

O venezuelano já desempenhou essa função em algumas partidas no Atlético Nacional, da Colômbia, quando foi campeão da Libertadores de 2016.

Comentar
Compartilhar
13 FEV 2018Por Folhapress15h59
A troca tática também serve de alternativa para que Guerra tenha mais chance de atuar.Foto: Daniel Vorley/Fotos Públicas/Divulgação

Roger Machado começa a abrir o leque de opções com o decorrer dos dias de seu trabalho no Palmeiras. Na última semana, o treinador observou a possibilidade de escalar Alejandro Guerra como um atacante.

O venezuelano já desempenhou essa função em algumas partidas no Atlético Nacional, da Colômbia, quando foi campeão da Libertadores de 2016.

A troca tática também serve de alternativa para que Guerra tenha mais chance de atuar. Hoje, ele está atrás de Lucas Lima na concorrência e ainda deve ficar em segundo plano também de Gustavo Scarpa.

"No amistoso do meio de semana (contra o São Bernardo), o Guerra fez primeiro tempo em posição mais avançada, ele disse que já tinha jogado. E eu vi uma boa movimentação. Mas ele tem outra característica. É um jogador leve, que dá trabalho ao zagueiro de forma diferente", explicou o treinador.

Apesar disso, a prioridade no Alviverde é dar chances a Miguel Borja. O colombiano tem mostrado disposição de se adequar aos pedidos do comandante e tem sido elogiado constantemente não só pela comissão técnica, mas também pela diretoria.

Além dele, Deyverson também pode atuar na frente, mas ele se recupera de uma operação no pé. Dudu é outro que já atuou como falso 9, mas sua prioridade é atuar aberto.

Colunas

Contraponto