06h : 39min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Produtores de leite querem ajuda do governo para evitar colapso no abastecimento

O grupo foi pedir que o Governo Federal adquira, em caráter emergencial, 50 mil toneladas de leite em pó e 400 milhões de litros de leite longa vida

Comentar
Compartilhar
15 SET 2017Por Nilson Regalado11h31
O Uruguai tem se mostrado mais eficiente que o Brasil na produção de leiteFoto: Divulgação/Portal Brasil

Definitivamente, o Uruguai tem se mostrado mais eficiente que o Brasil na produção de leite, tanto é que o país vizinho tem inundado o mercado brasileiro com leite em pó mais barato que o produzido aqui. E o setor considerado ‘patinho feio’ da pecuária tupiniquim resolveu buscar abrigo sob o guarda-chuvas do Governo Federal.

Sacudidos pelos preços aviltantes pagos pelos laticínios brasileiros e pela perda de importantes fatias do mercado interno a cada dia que passa, representantes do setor estiveram com representantes do governo Temer, especialmente com o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, na terça-feira. O grupo foi pedir que o Governo Federal adquira, em caráter emergencial, 50 mil toneladas de leite em pó e 400 milhões de litros de leite longa vida.

O objetivo é enxugar os estoques, em alta mesmo na entressafra devido à redução no consumo das famílias com o desemprego elevado. Mesmo acompanhados por representantes da bancada ruralista no Congresso Nacional, os leiteiros saíram desanimados com a confirmação de que não há dinheiro nos cofres públicos para comprar o leite e distribuí-lo às escolas e às populações em situação de déficit alimentar.

Em tempo: na porteira da fazenda, os laticínios pagam ao produtor pelo litro de leite o mesmo que custa uma dose de pinga barata em qualquer venda do interior do Brasil.

Clássico sul-americano...
A valorização de 7,1% do real frente ao dólar em 2017 está diminuindo a competitividade do café brasileiro e abrindo as portas do mercado internacional para o grão da Colômbia, segundo maior produtor de café arábica do Planeta. A constatação é da Organização Internacional do Café.

...tem Brasil em desvantagem
Os embarques de café da Colômbia na safra encerrada em julho de 2017 tiveram um aumento de 11,6% na comparação com a temporada anterior. Enquanto isso, as exportações brasileiras de café neste ano bateram no fundo do poço, chegando a cair ao menor nível desde 2004. Detalhe: o peso colombiano manteve-se estável em relação ao dólar neste ano.

Aproveite a manga barata...
As cotações da manga continuam em queda em todas as praças do País que ofertam a fruta neste período. Só no início de setembro, os preços de venda já recuaram 12% para a palmer e 3% para a tommy, segundo o Cepea/USP.

...enquanto americanos não chegam
Essa desvalorização deve continuar até o final do mês, quando os importadores norte-americanos voltam a comprar em maior volume as mangas colhidas no Vale do Rio São Francisco, na divisa da Bahia com Pernambuco, após o fim da safra mexicana.

Estudo científico aponta...
Um novo estudo científico conduzido pelo professor Ian Gledeall na Universidade de Tohoku, no Japão, concluiu que o polvo corre risco de extinção devido à sobrepesca.

...novas espécies de polvo no Atlântico,...
O motivo para a preocupação é o fato de a nomenclatura científica ‘Octopus vulgaris’ englobar diversas espécies com características semelhantes, mas diferentes quando analisadas sob a ótica da genética molecular.

...mas alerta para risco de...
E esse equívoco estaria a encobrir uma drástica diminuição de populações específicas, principalmente no leste asiático e no norte da África. Além disso, faltam dados para grande parte da América do Sul, da África e do Oceano Índico.

...extinção devido à sobrepesca
O estudo de Gledeall apontou indícios de pelo menos cinco espécies diferentes de polvo só no Atlântico. Essas diferenças ficariam mais evidentes no comprimento dos braços dos machos. O resultado do estudo foi publicado pela revista eletrônica Seafood Source, de Portland, nos Estados Unidos.

Ofertas na feira
Manga tommy, lima da pérsia, bananas prata e nanica, laranja pera, maçã gala, goiaba branca, mandioca, abóbora paulista, batata doce rosada, beterraba, espinafre, repolho verde, rabanete, alfaces, cenoura, couve-flor, couve manteiga, rúcula, acelga, alho poró, milho verde, chicória, alho chinês e batata lavada fecham a semana com preços em baixa na Ceagesp.

Filosofia do campo:
“Prepare o seu coração pras coisas que eu vou contar/Eu venho lá do sertão e posso não lhe agradar/Aprendi a dizer não, a ver a morte sem chorar/E a morte, o destino, tudo/A morte, o destino, tudo/Na boiada ja fui boi, boiadeiro já fui rei/Mas o mundo foi rodando nas patas do meu cavalo...”, Geraldo Vandré e Théo de Barros, compositores, in Disparada.

Colunas

Contraponto