Transporte coletivo pode entrar em greve em Cubatão

Empresa que opera o transporte coletivo não pagou o vale no dia 20 nem o salário dos trabalhadores ontem

Comentar
Compartilhar
09 JAN 2019Por Glauco Braga08h00
A Translíder garante que está sofrendo com a queda de passageiros com as férias dos estudantesFoto: Nair Bueno/DL

Os trabalhadores da empresa Translíder, que opera o transporte coletivo de passageiros em Cubatão, vivem uma rotina de atrasos no recebimento de seus salários. Este mês não foi diferente. No dia 20 de dezembro, data do recebimento do vale, nada pingou na conta e, ontem, quinto dia útil do mês, o salário de dezembro não foi pago. A Prefeitura garante que o repasse mensal à concessionária  está em dia. A deflagração de uma greve na Cidade está sendo estudada pelo sindicato dos trabalhadores.

A empresa tem 182 funcionários ativos no transporte de Cubatão. A Prefeitura da Cidade informou que o último subsídio repassado à Translíder foi de R$ 188,277,95 e que não existe atraso nos pagamentos.

Atrasos

A Translíder reconhece os atrasos e garante que está se esforçando para conseguir quitar, pelo menos, o vale. Ela promete fazer isso hoje e buscar dinheiro para quitar os salários até  dia 30 deste mês. A empresa ressaltou que os problemas financeiros foram ocasionados pela queda no número de passageiros , principalmente, em função das férias escolares na Cidade, o que torna os meses dezembro e janeiro mais difíceis.

Ela lembrou ainda que os atrasos vêm acontecendo nos últimos três meses, mas que fizeram esforços para deixar tudo em dia, inclusive, quitando o 13º salário de todos.

Sindicato

A assessoria de imprensa do Sindicato dos Rodoviários informou que “a empresa disse ao sindicato que receberia ontem da prefeitura e que pagaria os salários”. Durante segunda  e terça-feira, a Reportagem do Diário do Litoral tentou conversar com algum diretor da entidade, mas não conseguiu.    

Segundo texto divulgado pelo Sindicato dos Rodoviários da Baixada Santista , a entidade “tem cobrado da Translíder e da Prefeitura o fim dos constantes atrasos salariais e de pagamento de benefícios”. De acordo com ao Sindicato, a categoria  já fez greves e paralisações em várias oportunidades, além de muitas assembleias diante da garagem da empresa, na Rua Tenente Coronel PM Geraldo Aparecido Corrêa, 60, Vila Elizabeth.

Cubatão

A Prefeitura de Cubatão declarou que não há comunicado sobre paralisação, nem nada do tipo, até o momento. Porém, cabe à empresa cuidar para que os serviços prestados ao Município não sejam prejudicados.

Licitação

Por determinação do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP), a Prefeitura de Cubatão resolveu suspender, sem data de ­abertura, a concorrência ­pública para a seleção da nova empresa responsável pela exploração do serviços de transporte público ­coletivo.

Segundo a Administração, o Tribunal recebeu uma única impugnação a respeito, fato que é praxe neste tipo de licitação. A Companhia Municipal de Trânsito respondeu aos questionamentos. O novo prazo para abertura dos envelopes será divulgado após esse posicionamento do TCE-SP.  

Enquanto isso, a Translider segue operando o transporte coletivo da Cidade até o início das operações da nova empresa. O atual contrato tem valor de R$ 3,8 milhões.

Colunas

Contraponto