09h : 03min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Santistas criticam fim da impressão do Diário Oficial

REAÇÕES. Dezenas de pessoas usaram as redes sociais para se posicionar contra a mudança anunciada pelo governo

Comentar
Compartilhar
07 AGO 2017Por Rafaella Martinez10h30
A partir do dia 14 de agosto o DO não será mais encontrado nas bancas; Reportagem não consegue acessar a versão digital do jornal pelo celular desde a manhã de sábadoFoto: Rodrigo Montaldi/DL

O anúncio da Prefeitura de Santos de que a partir do próximo dia 14 o Diário Oficial impresso será substituído pela versão digital não agradou os munícipes. Dezenas de pessoas usaram as redes sociais neste final de semana para questionar a mudança.

“Como se todo mundo tivesse real acesso. Que retrocesso”, questionou Junior Brassalotti, cujo comentário foi respaldado por Lorraine Lopes Santoni: “Dificultando a informação, prestação de contas entre outras coisas pra grande massa”. Os comentários foram feitos na postagem da página oficial da Prefeitura de Santos, que anunciou a mudança com um vídeo cuja legenda foi: “Já era hora de libertar o Diário Oficial do papel e deixar cada santista escolher o melhor jeito de ler um dos principais meios de informação da Cidade - seja pelo celular, tablet ou computador”.

A Prefeitura de Santos justifica a mudança alegando que a modernização implica em benefícios econômico, ambiental e na universalização do acesso. No entanto, sem o DO, a Administração continuará pagando para que atos oficiais, tais como leis, decretos, portarias e atos de licitação sejam publicados em jornais de grande circulação, conforme preconiza a legislação vigente. A universalização do acesso também é questionada, visto que nem todos os munícipes possuem acesso irrestrito e gratuito a internet.

Desde o último sábado, dia do anúncio da migração, o Diário do Litoral tenta acessar, sem sucesso, a versão online do periódico a partir de um smartphone. No final da tarde deste domingo a ação se mostrou fracassada também pelo computador, que exibiu uma mensagem de erro.

A Administração garante que a manutenção do impresso representaria uma despesa de R$ 1,6 milhão em 2018. No entanto, a economia alardeada representa somente 0,05% do orçamento total do município.

Colunas

Contraponto