Entrada da Cidade

Ruínas da Ermida de Guaibê serão resgatadas para visitação

A Ermida do Guaibê é uma capela construída no século XVI no extremo norte de Guarujá, junto ao canal de Bertioga

Comentar
Compartilhar
06 DEZ 2018Por Da Reportagem22h30
A manutenção vem sendo feita desde o ano passadoFoto: Divulgação/PMG

A Prefeitura de Guarujá dará mais um passo importante para a preservação de pontos históricos emblemáticos de Guarujá nas próximas terça (11) e quarta-feira (12). É quando a Secretaria Municipal de Cultura (Secult), por meio da Diretoria de Patrimônio Histórico, realiza uma nova ação de zeladoria nas ruínas da Ermida de Santo Antônio do Guaibê, patrimônio histórico da Cidade.

A manutenção vem sendo feita desde o ano passado, com apoio das secretarias de Meio Ambiente e Operações Urbanas de Guarujá, e parceria da Prefeitura de Bertioga, por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Operações Urbanas. O objetivo é resgatar o local para visitação pública.

A Ermida do Guaibê é uma capela construída no século XVI no extremo norte de Guarujá, junto ao canal de Bertioga, e foi uma das primeiras igrejas do Brasil. O local era frequentado pelo Padre Anchieta, que rezava missas e catequizava índios. Foi construída por José Adorno e é feita de pedras de sambaquis e óleo de baleia com conchas. Atualmente restam as ruínas, que ainda dão a dimensão da antiga estrutura desta construção histórica.

"Queremos resgatar esse espaço, que faz parte da história não só de Guarujá, mas do Brasil, para que ele seja conhecido tanto pelos turistas como pela própria população de Guarujá", afirma diretora de Patrimônio Histórico de Guarujá, Mônica Daige.

O acesso à Ermida é feito pela Trilha das Ruínas, que tem início na Rodovia Ariovaldo de Almeida Viana, na estrada Guarujá-Bertioga. O caminho é feito por uma área preservada da Mata Atlântica. As prefeituras de Guarujá e Bertioga firmaram parceria em agosto de 2017 para a realização de manutenção no local.

Colunas

Contraponto