Banner Codevida

Região celebra dia mundial da limpeza de praias e rios

Mutirões de limpeza de praias e diversas ações de projetos ambientais acontecerão hoje e amanhã na Baixada Santista

Comentar
Compartilhar
16 SET 2017Por Da Reportagem10h30
Em Santos, ação acontece hoje na Praia do Gonzaga; Em Bertioga, Greenpeace fará a limpeza das praias amanhãFoto: Jessika Oliveira/Divulgação

O Dia Mundial de Limpeza de Rios e Praias - Clean Up Day é comemorado hoje. Para celebrar, cerca de 35 milhões de pessoas se reúnem em diversos lugares do mundo para realizarem mutirões de limpeza de praias, rios e manguezais com objetivo de alertar sobre a problemática do descarte irregular do lixo e do descuido com o meio ambiente.

Em Santos, o mutirão organizado pelo Instituto Mar Azul – IMA, em parceria com a Morphos Ambiental, sairá da Praia do Gonzaga, em frente à Praça das Bandeiras, a partir das 9 horas e seguirá até o Aquário, no canal 6. O evento é gratuito e aberto para todas as idades.

Já o Instituto EcoFaxina fará a ação voluntária no manguezal, amanhã. O grupo fornecerá transporte gratuito com saída às 8 horas da rua Dr. Oswaldo Cruz, 266, no Boqueirão.

Em Bertioga, também no domingo, voluntários do Greenpeace farão a limpeza das praias da Orla (centro), Itaguaré, Guaratuba e Boracéia e dos rios Jaguareguava, Itapanhau, Itaguaré e Guaratuba. O ponto de encontro será no Restaurante Vila das Ostras, na Praia de Itaguaré, às 10h30.

Especialista

Para combater a poluição das águas, o engenheiro Fernando Pereira, diretor comercial da General Water, concessionária particular de água e efluentes, acredita que é preciso intensificar as campanhas de conscientização ambiental, promover medidas de controle e fiscalização, além de se realizar o correto tratamento dos esgotos.

Segundo Fernando, o tratamento do esgoto, além de reduzir a poluição dos rios, pode proporcionar o reaproveitamento dos efluentes, como água de reuso, que seria a alternativa mais sustentável para garantir os recursos hídricos das gerações futuras.

“No Brasil, mais da metade do esgoto não é tratado e menos de 3% é reaproveitado. Em Israel, esse número chega a mais de 80%, deixando o país em primeiro lugar no ranking de reuso do recurso”, explica.

No Brasil, essa mudança de mentalidade já pode ser observada dentro da iniciativa privada. As indústrias, os shoppings centers e os grandes centros corporativos já fazem o reuso, transformando o esgoto gerado em água de reuso para fins não potáveis (vasos sanitários e irrigação).

“É muito importante que o poder público acompanhe a evolução do gerenciamento de recursos hídricos, promovendo a prática do reuso de água através de incentivos”, afirma Fernando.

Colunas

Contraponto