Pref 13 e 14

Prefeitura de Santos garante manutenção do programa Televida

Telehelp, empresa responsável por fornecer equipamento, enviou carta a munícipes informando o cancelamento, mas Administração busca renovar e ampliar serviço

Comentar
Compartilhar
08 AGO 2017Por Diário do Litoral11h30
Equipamento fornecido pelo Televida é composto por um comunicador direto da empresa com o cliente atendido e pulseira ou colar com botão de emergênciaFoto: Arquivo Pessoal

Os idosos que são atendidos pelo Televida, serviço de teleassistência residencial 24 horas desenvolvido pela Secretaria Municipal de Saúde de Santos, tomaram um susto na última semana. A Telehelp, empresa responsável pelos aparelhos que realizam o serviço, enviou uma carta para os munícipes anunciando que o programa seria cancelado a partir de 1º de agosto por falta de pagamento por parte da Prefeitura.

O Televida atende, atualmente, 250 pessoas. O caso foi relatado à Reportagem por Celia Ribeiro, responsável por cuidar de uma idosa de 91 anos beneficiada pelo Televida. A carta, datada de 25 de julho, chegou até a residência da munícipe na última segunda-feira (31 de julho). 

“Telehelp é uma pulseira que quando o idoso está sozinho e sofre um acidente, ele aciona com um toque e o socorro vem imediatamente! Foi assim quando ela caiu num domingo e estava só. Ela quebrou o pé em dois lugares”, relatou Celia, que demonstrou preocupação sobre o possível cancelamento do Televida.

Na carta, a Telehelp cita que fez inúmeras tentativas de contato com a Prefeitura com o objetivo de buscar alternativas para sanar as pendências financeiras, que já chegam há quase 12 meses, mas que não obteve retorno. A empresa ainda alertou que iria entrar em contato com os munícipes nas próximas semanas para programar a retirada dos equipamentos.

Televida segue

Questionada sobre o Televida pela Reportagem, a Prefeitura de Santos, por meio da Secretaria de Saúde, ­informou que mantém diálogo com a direção da empresa prestadora do serviço de teleassistência de idosos à distância (programa Televida), a qual se comprometeu a manter a prestação do ­atendimento até o dia 26 de agosto, data prevista para o término do ­terceiro ano de ­contrato.

Ainda segundo a Secretaria, o atraso ocorreu porque o pagamento segue a ordem cronológica dos pagamentos da Prefeitura de Santos, pois os recursos não são administrados pela pasta da Saúde. O contrato tem custo mensal de até R$ 15 mil e a Prefeitura está atuando para a quitação do débito, na ordem de R$ 80 mil, e pretende renovar o contrato.

Por fim, a Prefeitura disse que uma reunião seria realizada com representantes da empresa para tratar da renovação do contrato. A Prefeitura de Santos assegurou a manutenção do serviço aos munícipes e disse que pretende ampliar no próximo contrato o número de beneficiados, passando dos atuais 250 idosos beneficiados para um total de 500.

Como funciona. O Telehelp é composto por um equipamento que é instalado na casa do idoso e é acompanhado por um botão de emergência. O sistema avisa parentes e amigos em caso de queda ou emergência após o botão ser acionado. 

Após o botão ser acionado, uma atendente da empresa entra em contato, via equipamento, em busca de informações. Em sequência, a atendente alerta a pessoas designadas pelo cliente para informar sobre o ocorrido. O atendimento é encerrado somente após o idoso ter sido ­socorrido.

Colunas

Contraponto