Entrada da Cidade

Plano regional da ­Baixada ainda não decolou

A Assessoria do prefeito Alberto Mourão confirmou ontem que o plano não está definido e não tem data para apresentação

Comentar
Compartilhar
08 DEZ 2017Por Da Reportagem10h49
A Assessoria do prefeito Alberto Mourão confirmou ontem que o plano não está definido e não tem data para apresentaçãoFoto: Arquivo DL

Em 23 de agosto último, numa reunião do Conselho de Desenvolvimento da Baixada Santista (Condesb), o prefeito de Praia Grande Alberto Mourão, após reunião com empresários na sede de Cubatão do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), garantia que, em 90 dias – entre final de novembro e início de dezembro – a Baixada Santista contaria com um plano definido de como retomar o desenvolvimento socioeconômico da região, com metas de quando, onde e como viabilizá-lo junto aos governos municipal, estadual e federal, além de parceiros da iniciativa privada nacional e, até, internacional. Hoje, 8 de dezembro, e o plano nem está no papel.  

Na reunião, Mourão foi taxativo: “Temos 20 dias para que o grupo inicie e mais 20 para consolidá-lo. Em 60 dias, acredito que teremos já uma agenda definida para que, em 90, com o plano em mãos, comecemos a cobrar soluções dos órgãos competentes, com a ajuda dos seis deputados estaduais e federais da região”.          

O encontro foi o terceiro do Condesb no sentido de formar um grupo de trabalho com nove representantes de cada quatro segmentos pré-definidos (36 pessoas ao todo): sindicato dos empregados e patronais, empresariado, universidades e agentes públicos (prefeituras) das nove cidades da Baixada. O grupo formado por secretários de planejamento e correlatos estava para ser definido.

“As oficinas de trabalho dos grupos trarão um mapeamento de nossas demandas, um diagnóstico, para apresentar um plano técnico metropolitano eficiente e facilitar a busca de recursos financeiros para viabilizá-lo”, revelou o presidente do Condesb na ocasião, enfatizando que não se podia mais pensar em empreendimentos e iniciativas distantes de todos os produtos e serviços agregados que eles podem ­gerar.

No encontro, foi firmado compromisso de união em busca de soluções visando aumento do setor produtivo regional, descobrindo mais matrizes econômicas, que não foram pensadas nos últimos anos por acomodação de gestores públicos e privados.

Mourão

A Assessoria do prefeito Alberto Mourão confirmou ontem que o plano não está definido e não tem data para apresentação. No próximo dia 19, às 14horas, na sede da Agem, haverá uma reunião conjunta dos representantes dos trabalhadores, empresários e universidades. Os representantes dos trabalhadores e dos empresários enviaram propostas. Já as universidades querem conhecer estas propostas para saber como podem participar da ação.

Colunas

Contraponto